Vitor Boucinha disputa com Joana Lima, nas eleições do próximo sábado dia cinco de Abril a presidência da Concelhia da Trofa do Partido Socialista. Boucinha explicou ao NT os motivos que o levaram a candidatar-se pela segunda vez a esta estrutura socialista.

  "Apresento-me, pela segunda vez, a liderar um projecto à liderança do PS TROFA, porque acredito que temos competência para dinamizar o partido, porque queremos um PS diferente, um PS de que todos nos possamos orgulhar, um PS aberto aos militantes e à nossa comunidade de trofenses. Queremos um partido menos crispado, queremos um partido empreendedor, que trabalhe em equipa e que seja capaz de mobilizar os trofenses".

Questionado sobre as principais diferenças entre a sua candidatura e a de Joana Lima Victor Boucinha enumerou-as: "O primeiro ponto é o posicionamento face a estas eleições. Para nós, Lista B, estamos a concorrer à Concelhia do PS e não à Câmara Municipal da Trofa. Para nós, ganhar a Câmara da Trofa é uma prioridade, mas a nossa acção não se esgota nesse objectivo. Antes de ganhar a Câmara Municipal, precisamos de dinamizar o partido, de lhe restituir prestígio e de o credibilizar perante os trofenses. Outro ponto que nos distingue é a recusa em reduzir o PS a uma pessoa. Defendemos um PS plural, aberto e dinamizador". Boucinha acrescentou ainda que " recusamos o culto da personalidade e a concentração do poder numa só pessoa. Recusamos a imposição de uma pessoa e de uma candidatura aos militantes e aos trofenses, Não é assim que os verdadeiros democratas actuam. Defendemos uma escolha criteriosa, séria e amplamente discutida no seio do PS, do futuro candidato socialista à Câmara Municipal da Trofa. Um candidato que nos dê garantias de qualidade e verdadeira competência", assegurou o candidato.

"Sentimos que as pessoas estão descrentes, e que, tal como nós, desejam um PS diferente", asseverou o candidato da Lista B à concelhia, acrescentando "sentimos ainda que as pessoas não aceitam bem este culto da personalidade que se instalou no PS Trofa e que sentem a ausência e falta de apoio e coordenação da líder, tanto na Assembleia Municipal como na própria terra". O candidato acrescentou que " a razão principal dos nossos contactos com os militantes tem sido a divulgação das nossas ideias e aprofundar o conhecimento pessoal com todos eles. Temos aproveitado para falar mais do futuro do PS e não do seu passado".

"Se no dia 5 de Abril os militantes do PS TROFA escolherem a LISTA B, nada ficará na mesma na concelhia. Vamos imediatamente dinamizar o partido para a escolha do melhor candidato para a Câmara Municipal da Trofa. Vamos ainda mobilizar um grupo de militantes, para a criação de um executivo-sombra que prepare devidamente a candidatura às próximas eleições autárquicas. Vamos visitar todas as secções e acompanhar os militantes do concelho de uma forma mais consistente, ouvindo-os e integrando as suas sugestões e anseios nos nossos projectos. Vamos proceder à preparação dos candidatos às Juntas de Freguesias, escolhendo candidatos com perfil de vencedores, mas também que nos deem garantias de que exercerão os seus mandatos com competência, dignificando a imagem do PS e dos seus militantes.

"A unidade de um partido não é um elemento fundamental para que o partido funcione e seja credível. A unidade só é um valor importante se houver respeito por todos e pelas suas opiniões", frisou. Unidade sem respeito – não obrigado! Naturalmente que, passado o tempo de campanha eleitoral interna, teremos de partir para outros patamares de acção e é importante a conjugação de esforços para se atingirem outros objectivos.

Quanto à possibilidade de ganhar a Câmara da Trofa Boucinha foi peremptório: "O PS só terá alguma possibilidade de ganhar a Câmara da Trofa se tiver a liderá-lo uma pessoa com capacidade de trabalho, experiência profissional e competência técnica e política. O PS só ganhará a Câmara se o seu líder tiver possibilidade de acompanhar os trabalhos da Assembleia Municipal e das Juntas de Freguesia, se souber coordenar eficazmente a sua equipa, estando presente e disponível. O PS só ganhará a Câmara da Trofa se exercer uma oposição séria, construtiva e positiva, sem confundir oposição com crispação e falta de urbanidade. Julgo que, em conjunto com a minha equipa, da qual fazem parte militantes trofenses que deram já um enorme contributo nos cargos que desempenharam, quer na Assembleia Municipal, quer nas Juntas e Assembleias de Freguesia, reunimos as condições para que os trofenses voltem a confiar no PS para liderar a Câmara Municipal da Trofa".

Boucinha fez questão de " partilhar com os leitores d'O Notícias da Trofa e sobretudo com os nossos militantes, a grata satisfação que temos sentido nos contactos que temos efectuado, no âmbito das nossas acções de campanha. Tem sido uma experiência enriquecedora a todos os níveis e queremos manifestar publicamente o nosso agradecimento pela forma acolhedora, atenta e sobretudo, muito educada, como nos têm recebido e têm ouvido as nossas razões e projectos. Estamos tranquilos e aguardamos com confiança pelo voto dos nossos militantes, que saberemos respeitar, seja ele qual for" concluiu.