A equipa de sub-18 da Vigorosa conseguiu o empate no primeiro jogo com o Alfenense, mas na segunda mão deixou escapar o triunfo por quatro pontos.

 O cronómetro parou nos dois segundos e poucos centésimos do quarto período. A euforia tomou conta dos adeptos e tornou ruidoso o pavilhão desportivo de S. Romão do Coronado. Esse momento vai, com certeza, ficar eternamente marcado na memória de Chico, jogador da Associação Cultural Recreativa Vigorosa que, com um triplo, fixou o empate com o Alfenense (42-42), no primeiro jogo da 1ª eliminatória de acesso à fase final da 1ª Divisão distrital de sub-18 de basquetebol, disputado na tarde de sábado.

Apesar da prestação hercúlea da formação trofense, não foi possível garantir a passagem à 2ª eliminatória, já a partida da segunda mão, em Alfena, no dia seguinte, ditou pendeu para a equipa da casa, que venceu por 52-48.

Mesmo assim, a Vigorosa vendeu cara a passagem à próxima fase, mostrando resultados positivos obtidos pela secção de basquetebol da associação.

O regresso à 2ª Divisão distrital não desanima o treinador, Nuno Silva, que elogiou o espírito de equipa: “O mais importante foi o facto de termos uma equipa que reflete o espírito de luta que caracteriza a Vigorosa. Foi um bom jogo dos meus atletas que batalharam contra uma equipa que é mais difícil e que tem mais experiência e poder físico”, afirmou, no fim do primeiro jogo, no sábado.

O técnico afirmou ainda que “independentemente de vencer ou perder, o que importa é que os jovens se divirtam dentro de campo e o público na plateia”.

 

Já Michel Bertani, treinador do Alfenense, preparou o grupo para defrontar um adversário “difícil”, num jogo que prometia ser “muito renhido”. “Tanto, que acabou por dar empate”, sublinhava antes da segunda mão. O certo é que o desejo do treinador – “ter, pelo menos, mais um ponto” no jogo seguinte – concretizou-se e o Alfenense acabou por seguir em frente, vencendo por 52-48.

{fcomment}