Durante dois dias, os alunos da Escola Secundária da Trofa puderam orientar-se quanto ao futuro académico e profissional através da Feira das Profissões, que encheu o átrio do novo edifício de painéis e panfletos de inúmeros institutos e universidades do País.

Nos dias 9 e 10 de janeiro, para além de contactarem com os responsáveis das diferentes instituições e colocar questões sobre os cursos, os jovens, principalmente os que completam agora o 12º ano, participaram em diversas palestras.

“Os objetivos passam por confrontar os alunos com as várias alternativas que existem, ajudando-os a alargar o leque de alternativas que eles têm e pô-los a pensar em coisas que nunca pensaram que podiam existir e que podem ser uma alternativa viável”, explicou a psicóloga e responsável pela organização da Feira, Fernanda Silva.

A adesão foi satisfatória e as palestras muito participadas, no entanto, houve responsáveis académicos que notaram que “há alguns alunos que estão muito perdidos” quanto ao futuro que pretendem. Esta Feira visa, por isso, orientar os alunos para que comecem a trilhar um caminho concreto que os leve ao sucesso profissional.

Segundo Fernanda Silva, as principais preocupações dos jovens que terminam o Ensino Secundário são “as notas de acesso ao Ensino Superior” e, cada vez mais, “as questões financeiras”. “O que mais me perguntam é quais os cursos que dão mais emprego”, afirmou, acrescentando que esta apreensão já molda o pensamento dos alunos que ainda estão no 9º ano.

Mas muitos deparam-se com um grave problema que surge na base. “Há alunos que por não terem adquirido competências de trabalho e não se terem habituado à prática do estudo quotidiano durante o ensino básico, chegam ao 9º ano com algumas lacunas e optam por percursos do secundário que, inevitavelmente, os levam a cursos onde em termos de emprego não sabemos nada”.

Encarar a matemática, a física e a química como “bicho-de-sete-cabeças” continua a ser uma prática corrente dos jovens, que fogem destas disciplinas e acabam por ver muitas portas fechadas na hora de encontrar emprego.

Na 16ª Feira das Profissões, organizada com o apoio dos funcionários da escola e dos alunos do Curso Técnico de Gestão, estiveram muitas instituições académicas, desde a Universidade do Porto, do Minho, de Aveiro e de Trás-os-Montes e Alto Douro. Também estiveram representadas vários institutos públicos e privados como os de Contabilidade e Administração e de Engenharia, do Porto, Centro de Recrutamento do Porto (Exército), Centro de Recrutamento da Força Aérea – Delegação do Norte, Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, Universidade Católica Portuguesa, Universidade Fernando Pessoa, Universidade Lusíada – Famalicão, Instituto Superior da Maia, Grupo CESPU, Instituto Piaget e Cenfim.

Os alunos participaram em diversas palestras que abordaram áreas académicas, como psicologia, pedagogia social, investigação científica, força aérea, economia e gestão, línguas,

Os alunos do 9º ano também tiveram direito a um workshop para sanarem dúvidas sobre que área escolherem no Ensino Secundário, se Ciências e Tecnologias ou Ciências Socioeconómicas.
Durante o período letivo, a Escola Secundária ainda vai agendar outras palestras, de acordo com os interesses dos alunos, quer sobre cursos de especialização tecnológica, quer sobre superiores, com o Cenfim, Ismai, Isag, Esap e Universidade Católica – Escola Superior de Biotecnologia.

 {fcomment}