marchas-vigorosa 

Dezenas de marchantes deram um colorido especial às festas de S. João promovidas pela Associação Cultural e Recreativa de Vigorosa. A associação equacionou não realizar as festas este ano, mas a associação resolveu não tirá-las as festas aos populares da Esprela.

Começaram “por brincadeira” de alguns populares da aldeia da Esprela, mas acabaram por se tornar num dos pontos de interesse das festas de S. João. As marchas populares em honra ao santo e promovidas pela Associação Cultural e Recreativa de Vigorosa têm como mentora Dina Sousa que, apesar de não se considerar “especialista”, empenha-se todos os anos para dar “vaidade e brio” à aldeia.

As marchas deram o ar da sua graça há já 12 anos, quando um grupo de populares decidiu fazer uma surpresa à associação. “Agora, todos os anos nos batem à porta”, contou Dina Sousa, que “gostava de fazer mais e melhor”, mas as dificuldades inerentes à falta de verbas da associação também não permitem voos altos.

As marchas em honra ao santo que também dá boas vindas ao Verão encheram de cor a rua onde está sedeada a sede da associação. Por entre músicas conhecidas do foro popular, as danças ensaiadas por Dina Sousa e que juntaram dezenas de marchantes, pequenos e graúdos, animaram a população da Esprela.

Helena Souto viu as marchas de Vigorosa pela primeira vez, mas prometeu voltar à aldeia para o ano, porque achou “muito bonito”. O gosto pela música tradicional portuguesa, acrescentando o facto de pertencer ao Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado, contribuem para a boa disposição de Helena Souto numa noite de Verão que convida ao convívio fora do lar.

Apesar de equacionar a não realização das festas este ano, a associação de Vigorosa resolveu não tirá-las aos populares da Esprela. Em declarações ao NT/TrofaTv, Carlos Portela, presidente da ACR Vigorosa, afirmou que as festas de S. João “são a alegria das gentes da Esprela e não se podia cortar essa mais-valia que é esquecer certos problemas da vida e transportar aqui para a sardinhada, para as festas e para as marchas uma melhor forma de estar e uma melhor forma de preparar o dia seguinte”.

O presidente da colectividade agradeceu o apoio da Câmara Municipal da Trofa e da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado e de forma “especial” ao povo da Esprela “que tem colaborado”.

As marchas populares, que inicialmente estavam agendadas para sábado, animaram a noite de domingo, enquanto que o grupo Rima Nova substituiu-as, devido “aos vários eventos que estavam agendados para sábado”, esclareceu Carlos Portela.

Devagar se vai fazendo com consistência”

A associação, que tem uma actuação expressiva junto dos jovens, especialmente no desporto, espera pelo apoio de patrocinadores. Carlos Portela deixou “uma palavra de estímulo” a todos aqueles que possam apoiar para a aquisição de uma nova carrinha de transporte para os atletas da modalidade de basquetebol.

“Nós agradecemos às empresas que puderem colaborar no sentido de adquirir esse bem essencial de transporte, porque estamos muito empenhados na área do basquetebol”.

Outra das metas da associação é a concretização da escritura do terreno “prometido” e que fará “crescer” a nível de meios a associação. “Esta alma crescer mais não pode. Agora só em termos de actividades desportivas e também precisamos de suporte e de umas instalações próprias”, explicou.

O responsável não deixou de referir que o caminho para a evolução “é bom, mas lento, mas com a crise não poderá ter outra velocidade”. “Espero apenas que as pessoas compreendam, porque devagar se vai fazendo as coisas com consistência”, concluiu.