Associação Cultural Recreativa Vigorosa (ACR Vigorosa) assinou um protocolo com a Escola E.B 2/3 de Alvarelhos a fim de permitir aos seus alunos a prática de atletismo nas instalações desta infraestrutura.

Os alunos da Escola E.B. 2/3 de Alvarelhos participaram esta quarta-feira, dia 16 de novembro, no corta-mato escolar e simultaneamente assistiram à assinatura do protocolo entre a escola e a ACR Vigorosa. Neste dia a escola recebeu ilustres personalidades do atletismo, como Sara Moreira e Luís Sá, que fizeram questão de entregar as medalhas aos vencedores desta prova escolar.

A ideia de criar este protocolo surgiu do incremento que a instituição quer dar à modalidade de atletismo. “O Vigorosa tem ido ao encontro dos atletas, das populações das várias freguesias do concelho já que as escolas são um excelente meio para captar mais atletas”, asseverou o presidente da instituição Carlos Portela.

Já o responsável pelo atletismo, Pedro Sá, considera que estes protocolos entre instituições desportivas e escolas são importantíssimos. “Como não temos grandes condições no concelho da Trofa para a prática desportiva é importante recorrermos às infraestruturas das escolas para permitir às crianças que pratiquem desporto”, adiantou.

Com este protocolo agora assinado os alunos da Escola E.B. 2/3 de Alvarelhos vão poder realizar treinos de atletismo duas vezes por semana, às terças e quintas-feiras, depois das aulas terminarem. Pedro Sá espera angariar mais atletas para a modalidade de atletismo do Vigorosa. “O ano passado captamos sete atletas de Alvarelhos para a ACR Vigorosa e o ideal seria termos 15, mas acredito que vai ser possível concretizar esse objetivo”, admitiu o responsável do atletismo.

Já o diretor da Escola, Renato Carneiro, considera que este protocolo vai ser uma mais valia para os alunos da sua escola. “Este protocolo vai possibilitar aos alunos a prática de mais uma modalidade desportiva. Os nossos alunos já usufruíam de outras modalidades como o badminton, voleibol e danças rítmicas e expressivas e agora passam a poder fazer atletismo duas vezes por semana. Isto surge no seguimento do diagnóstico que foi feito quando elaboramos o nosso projeto educativo e em que se verificou que havia uma prática reduzida de desporto, e a que havia era ligada ao futebol, então tentamos alterar isso e passámos a incutir nos alunos a prática de outras modalidades desportivas”, afirmou Renato Carneiro.

A atleta Sara Teixeira começou a dar os primeiros passos no atletismo com nove anos e até hoje tem-se mantido em competição e os seus próximos passos passam pela participação nos Jogos Olímpicos de 2012. Esta atleta tirsense já venceu muitas medalhas quer a nível nacional quer internacional e considera que para haver boa prática de atletismo têm de existir boas condições para treinar. “Lembro-me quando me iniciei no atletismo que tinha alguém que me levava aos treinos, mas depois foram surgindo complicações a nível de transporte e por vezes não conseguia ir aos treinos por causa disso. Por isso mesmo considero importantíssimo que associações como o Vigorosa que promove os treinos nas escolas tirando assim aos alunos o trabalho de se deslocarem ao clube”, afirmou a atleta.

O atleta Luís Sá está prestes a terminar a sua carreira no atletismo, mas admite continua a apoiar causas como esta. “Já estou em final de carreira e por isso vou abandonar o desporto de alta competição brevemente, mas irei continuar a apoiar causas como esta que incentivam a prática desportiva nos mais jovens”, asseverou.

{fcomment}