quant
Fique ligado

Edição 741

Vídeo – Cruz Vermelha lança iniciativa para alertar aos maus-tratos na infância

Publicado

em

Abril significa mês da prevenção dos maus-tratos na infância. A Cruz Vermelha da Trofa, no âmbito do projeto “CLDS 4GIR”, lançou um desafio aos alunos do ensino pré-escolar e 1.º ciclo para sensibilizar a população relativamente a este flagelo que se agravou durante a pandemia.

As crianças que frequentam o ensino pré-escolar e o 1º ciclo do concelho foram os escolhidos para a campanha desenvolvida pelo CLDS 4AGIR, que queria, através de “uma mensagem positiva” – como é que o amor nos ajuda a crescer – sensibilizar toda a população. A coordenadora do CLDS da Trofa, Carla Lima, explicou ao NT e à TrofaTv que cerca de 1500 crianças foram desafiadas a “desenharem uma forma ou escreverem o que achassem por forma de amor ou de um crescimento saudável”. O resultado foram outros tantos corações, que se encontram expostos na sede da instituição, em Santiago de Bougado.

Carla Lima reforçou a importância deste projeto, numa altura em que os maus-tratos “se agravaram com a questão da pandemia”. “Mais do que nunca, é preciso sensibilizar a comunidade para este flagelo que, infelizmente, ainda está muito presente na comunidade, não só na Trofa, mas em todo o país”.
A coordenadora acredita que “se todos tivermos e dermos amor, se calhar, os maus tratos não existem”.
O coração pintado pelas crianças ia “junto com outro, que deixava um pouco da história do laço azul”, símbolo da efeméride, e continha os contactos dos “organismos competentes”, no caso de haver necessidade de reportar algum caso de abuso contra crianças.
A iniciativa pretende sensibilizar as pessoas para “um problema que existe e cuja denúncia é um dever de todos”.
A coordenadora do CLDS reforçou ainda a importância do papel das famílias, “para que cada vez mais percebam que, só com amor, é que as crianças, e todos, crescemos saudáveis e mais felizes”.

Continuar a ler...
Publicidade

Desporto

Trofense defronta Anadia este sábado

Publicado

em

Por

Está aí a segunda volta da Fase de Subida à 2.ª Liga e o adversário que, até agora, foi o único a “atrapalhar” o Trofense, com um empate, mas incapaz de somar mais pontos até agora. Este sábado, às 18 horas, a equipa da Trofa recebe o Anadia e nesta altura do campeonato, o que mais se espera é “dificuldades”, anteviu o treinador Rui Duarte em entrevista à TrofaTv.

“É uma equipa que, apesar de ter apenas um ponto, tem revelado grande capacidade e uma ideia de jogo muito positiva. Vai ser um jogo extremamente difícil para nós, que temos que manter o registo que apresentamos nestas últimas semanas”, referiu o técnico.

Sendo a única equipa que, na presente fase, o Trofense já defrontou, Rui Duarte acredita que pouco poderá surgir de diferente no plano tático.

“Nós estudamos muito o adversário, dentro daquilo que achamos que é importante e depois transportamos para aquilo que é a nossa estratégia e ideia de jogo. Não penso que, nesta altura da época, haja grandes diferenças de identidade. Pode haver algum elemento surpresa, mas isso tanto pode surgir do lado do adversário como do nosso”, sublinhou, sem deixar de admitir o sentimento de “confiança” pelo que a equipa tem produzido nos últimos jogos.

Se é verdade que o Trofense pode festejar a subida de divisão já daqui a uma semana, também é facto que uma “escorregadela” pode colocar em xeque esse horizonte.

“Temos que estar conscientes que vamos a meio desta fase. Estamos bem posicionados, mas o próximo jogo é extremamente importante, porque se não o conseguirmos ganhar, praticamente, volta tudo à estaca zero. Por isso, não podemos pensar muito mais além, temos é de controlar o que está próximo, temporalmente, e não pensarmos em mais nada”, sublinhou Rui Duarte.

O Trofense lidera a série da Zona Norte da Fase de Subida à 2.ª Liga, com sete pontos, mais um que o Pevidém, que esta jornada viaja ao reduto do Braga B.

Publicidade

Continuar a ler...

Edição 741

Governo e municípios unidos na reabilitação do Rio Ave

Publicado

em

Por

O Rio Ave faz parte dos projetos de reabilitação e valorização fluvial que o Governo vai colocar em marcha, no âmbito do programa Assistência para a Coesão e os Territórios da Europa (REACT-EU).

Ao todo são 30 as intervenções, a desenvolver “até 2023” e que implicarão um investimento de “50 milhões de euros”, anunciou o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, na cerimónia de assinatura de protocolos entre a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e 45 municípios, a 30 de abril, em Coimbra.
Dos 150 quilómetros de linhas de água que serão alvo de intervenção, 40 dizem respeito aos rios Ave e Vizela, envolvendo os municípios da Trofa, Santo Tirso, Vila Nova de Famalicão, Vizela, Guimarães, Fafe e Felgueiras. O projeto prevê um investimento de nove milhões de euros, para a “consolidação e renaturalização de margens do rio, corte e limpeza de vegetação e criação de espaços de inundação preferencial e de trilhos ecológicos”.
“É fundamental os rios serem um espaço de convívio, em que se preserva e que se cria condições para melhorar a qualidade da água, um espaço de união e não de separação”, assinalou o ministro à margem do lançamento da primeira pedra do Parque Silvestre do Verdeal, que vai reabilitar o rio Vizela, em Vila das Aves, concelho de Santo Tirso.
Aos 50 milhões de euros a investir nos próximos três anos em 150 quilómetros de linhas de água e 50 massas de água, acrescem 116 milhões de euros que já foram investidos em 1450 quilómetros de rios e ribeiras, desde 2017.
Matos Fernandes referiu ainda, em Coimbra, que este investimento foi possível devido a uma “vontade política que reconhece a relevância ambiental, económica e social destas intervenções”, através de um “compromisso com o poder local e de alocação dos meios financeiros necessários, de que o REACT-EU é um bom exemplo”.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também