cavalos 

Com melhorias nas infra-estruturas e mais actividades hípicas, a vertente equestre promete superar as expectativas na edição 2010 da Feira Anual da Trofa. Ponto alto será a Gala Equestre, com o ritual de entronização e desfile da Confraria do Cavalo.

Todos os anos, os espectáculos equestres atraem milhares de visitantes e amantes do cavalo lusitano ao recinto da Feira, que este ano apresenta algumas alterações para reforçar o sucesso do certame. “O picadeiro terá um piso novo, especialmente concebido para as provas hípicas, tendo sido também aumentado o número de casetas para criadores”, adiantou ao NT Hélder Santos, responsável pela Confraria do Cavalo e pela vertente equestre da Feira Anual da Trofa.

Entre as novidades do programa hípico, o destaque vai para o Campeonato Regional de Equitação de Trabalho, sendo a edição de 2010 a primeira em que a Confraria se apresenta na Feira, “devidamente institucionalizada, pelo que todo o programa de entronização, desfile e Gala da Confraria são novidades imperdíveis”.

Subordinada à temática das Invasões Francesas, a Gala da Confraria do Cavalo, no sábado à noite, será o ponto alto dos espectáculos equestres, reunindo as associações da Trofa, cavaleiros nacionais consagrados e a Charanga a Cavalo da GNR.

Com um cartaz diversificado para os amantes das diferentes modalidades hípicas, o programa não descura o Concurso de Modelo e Andamentos, prova rainha, na qual estão já inscritos cerca de 80 cavalos lusitanos, oriundos de todo o país.

Para além do aumento de inscrições de cavalos, há a realçar, de acordo com Hélder Santos, o incremento de inscrições para todas as provas, esperando-se um “crescimento significativo da afluência do público”.

“Em permanência, instalados nas boxes da feira, teremos 300 cavalos. Somando os que passam diariamente, sem pernoitarem cá, esperamos uma participação superior a 700 cavalos nesta edição”, avançou.

Confraria do Cavalo entroniza autarcas trofenses

No ritual de entronização, no sábado à noite, a Confraria do Cavalo irá entronizar um total de 13 novos confrades. O presidente da Câmara da Golegã, Veiga Maltez, um dos maiores criadores de cavalos lusitanos do país, será entronizado como Confrade Honorário, juntamente com Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, José Sá, presidente da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, e o Idés Marchal, cidadão belga, cronista internacional de imprensa especializada em cavalos e grande amante do cavalo lusitano.

Fundada pelo grupo de pessoas que têm colaborado na organização da dimensão equestre da Feira Anual da Trofa, a Confraria do Cavalo pretende, gradualmente, aumentar o número de confrades e, segundo Hélder Santos, muitas são já as pessoas interessadas em aderir à Confraria. “A primeira condição para ser convidado para Confrade é ser um amante do cavalo e um apaixonado da cultura equestre. A segunda condição é dar provas, através da estrita colaboração com a Confraria, de que se está disposto a contribuir para preservar e difundir a cultura equestre”, explicou o responsável.

Hélder Santos não deixou de referir a importância da Confraria do Cavalo para a região, realçando que a mesma “pretende ser guardiã e dinamizadora da cultura equestre na região” e “para a Trofa, em particular, representa um potencial turístico e cultural”.

Para além de todas as actividades hípicas da Feira Anual da Trofa, a Confraria do Cavalo é também responsável pela organização do Campeonato Regional do Norte de Equitação de Trabalho, ultrapassando, assim, as fronteiras do concelho da Trofa, onde está sedeada. “Desenvolvemos ainda a romaria a cavalo ao S. Gonçalo de Covelas, como é já tradição, e estão a ser programadas mais um conjunto de provas hípicas noutras modalidades, como a atrelagem e os saltos”, adiantou Hélder Santos.