O "Plano de Acção 2007-2016" e o "Plano de Comunicação do SIRVA – Sistema Intermunicipal de Resíduos do Vale do Ave", estiveram em discussão na passada quarta-feira. O "Fórum Ambiente – Vale do Ave 2015" decorreu no Auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado.

sirva-amave-(2).jpg  O SIRVA desenvolveu um novo Plano de Acção para 2007-2016, tendo como principal linha de orientação o novo Plano Estratégico para os Resíduos Sólidos Urbanos (PERSU II) e o seu principal desafio: a procura da sustentabilidade ao nível ambiental, social e económico.

Assim, estiveram em discussão na passada quarta-feira o "Plano de Acção 2007-2016" e o "Plano de Comunicação do SIRVA – Sistema Intermunicipal de Resíduos do Vale do Ave". O "Fórum Ambiente – Vale do Ave 2015" decorreu no Auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado.

Actualmente, o SIRVA está a executar vários projectos – a ampliação da Estação de Triagem, o aumento da Capacidade de Triagem, a construção de uma Plataforma de Triagem e a Implementação de um Plano de Comunicação e Imagem cujo ponto de partida se baseia na campanha "Vale do Ave a Reciclar!".

As acções preparadas estão assentes na comunicação, informação e formação de modo a potenciar a implementação de diversas práticas relacionadas com a selecção e acondicionamento de resíduos e a aquisição de competências relacionadas com todo o processo ambiental na comunidade.

No Fórum estiveram os técnicos da AMAVE – Associação de Municípios do Vale do Ave que explicaram "as estratégias, o ponto de situação actual, as metas que pretendemos atingir e qual a estratégia ao nível do plano de acção e plano de comunicação", afirmou António Quintão, coordenador do Gabinete Técnico da AMAVE.

"Este fórum, e estando a Trofa integrada no SIRVA, tem uma mais valia muito grande para o concelho porque vamos tentar aproximar-nos dos munícipes da Trofa e vamos tentar que os munícipes se aproximem de nós, para que comunguem de toda a nossa estratégia de separação, para que se integrem neste sistema do qual fazem parte", explicou o coordenador.

António Pontes, presidente do Conselho de Administração da Empresa Municipal Trofáguas, lembrou ao NT a importância do Fórum: "Nós temos o exemplo de Nápoles, em Itália que há cerca de um mês esteve em estado de sítio por causa de uma situação que tinha a ver precisamente com os resíduos e o que temos de acautelar, aqui no concelho e na região é que uma situação destas nunca possa acontecer. Para que isso não aconteça é importante que algumas medidas sejam adoptadas e sejam definidas estratégias de actuação".

Definir um rumo para alterar as dificuldades com o sistema de resíduos, a capacidade da lotação e aterros do Vale do Ave, a dificuldade na implantação dos aterros, o financiamento dessas obras, visto que os apoios "não existem", o impacto ambiental que sempre é causado "por mais cuidado que se tenha" e a legislação que aponta para que os sistemas de resíduos sejam auto-sustentáveis tanto ao nível ambiental como económico, foram alguns do pontos essenciais frisados por António Pontes.

Recordou-se ainda que em Março de 2005 os Aterros Sanitários de Guimarães e de Santo Tirso esgotaram a sua capacidade de encaixe, pelo que foi necessário que o SIRVA procede-se à sua reengenharia. Neste sentido a AMAVE promoveu estudos da aferição. Assim, e após a realização da respectiva empreitada, o aterro sanitário de Guimarães reactivou o seu funcionamento, estando, desde Fevereiro de 2006, a receber RSU- Resíduos Sólidos Urbanos e refugos. No aterro sanitário de Santo Tirso decorre uma intervenção similar.

Para além do Fórum, e pensando nas gerações futuras, foi desenvolvida ainda uma campanha de comunicação dedicada à comunidade escolar – "O Reciclas recicla. E tu reciclas?" – que abrange uma série de actividades distribuídas ao longo do ano lectivo, dirigidas aos diferentes níveis de ensino, de acordo com o desenvolvimento das crianças e jovens.

Várias actividades estão igualmente previstas para a população em geral, nomeadamente: um veículo/exposição itinerante, visitas de sensibilização porta-a-porta, campanha de separação de embalagens de plástico e de metal, campanha de comunicação e sensibilização para a utilização dos ecocentros e uma peça de teatro itinerante sobre a temática do ambiente. Dirigida ao comércio e serviços, será realizada uma campanha de sensibilização para a correcta gestão de resíduos, produzidos nestes sectores, com visitas de agentes de sensibilização.