O Natal chegou mais cedo para a Urbanização da Barca que será subsidiada pela autarquia em 284 mil euros, para colocação de elevadores nos prédios. O NT falou com Vitor Augusto, responsável pela Associação Barca Social, que confirmou a “necessidade” desta infra-estrutura.

Têm 18 anos e desde a data da sua inauguração que os prédios que compõem a Urbanização da Barca, em S. Martinho de Bougado, esperam pela colocação de elevadores. Como prenda de Natal antecipada, a Câmara Municipal da Trofa aprovou, na passada quarta-feira, em Reunião de Câmara, a concretização desse projecto, orçado em cerca de 284 mil euros.

Vitor Augusto é presidente da Associação Barca SocialDepois de ter sido feita uma prospecção de mercado para saber qual a melhor empresa para efectuar a obra, a Associação, com a ajuda de vários elementos da Trofa Park, apresentou o projecto à autarquia. “De realçar a grande colaboração do engenheiro Queirós e do Dr. Pedro, do Dr. Carlos e a Dr. Maria João da Trofa Park que nos ajudaram muito nos processos burocráticos, desde a constituição da associação até à entrega das propostas e valores tivemos a colaboração de todas estas pessoas e foi óptimo caso contrário sozinhos não conseguíamos”, afirmou Vitor Augusto.

A colocação de 16 elevadores já foi comunicada, no entanto, falta agora saber “como será feito o pagamento e quando começará a obra”.

Para Vitor Augusto, a aprovação deste projecto “significa uma grande melhoria da qualidade de vida, porque cada entrada tem quatro andares, vivem lá pessoas que já não são novas e que têm dificuldades em subir aquela escadaria toda”.

Quanto à visita à Urbanização levada a cabo pelos membros da Juventude Socialista no mês passado, em que apontaram várias falhas, Vitor Augusto foi peremptório: “um bairro ostracizado pelo poder político, não me parece, agora que as coisas podem melhorar isso é verdade, e temos tido bastantes apoios quer da parte da Câmara Municipal, quer da Junta de Freguesia”.

“Mas há de facto algumas situações que podem ser melhoradas como é o caso do parque infantil, que tem umas condições mínimas, e que não está dentro das normas legais, e portanto precisávamos de um parque infantil com melhores condições e necessitaríamos também de um ponto de água para que as crianças pudessem beber água potável quando quisessem”.

A zona junto ao rio também foi um dos pontos abordados pelos jovens socialistas e Vitor Augusto concordou com a necessidade de um enquadramento da zona do rio, com a Urbanização. “A zona da Azenha da Barca é lindíssima, mas de facto enquanto o Rio Ave não estiver despoluído e enquanto o espaço envolvente não tiver um tratamento diferente, não é convidativo. Há já um projecto da Câmara nesse sentido, que é o Parque das Azenhas, e esperemos que esse projecto venha para o terreno”, afirmou o presidente da associação.

Relativamente a outros projectos para a Urbanização da Barca, adiantou que a associação já teve uma reunião com o sector de desporto da autarquia “para tentar complementar o espaço da Urbanização com uns balneários e portanto tudo isso está em andamento”.

Assim, o presidente da associação fez questão de acrescentar: “a favor da Barca estamos sempre prontos a receber as pessoas, mas para partidarizar, não estamos nada de acordo”.

Vitor Augusto aproveitou ainda para alertar para o estado de degradação do monumento das alminhas, situado na Urbanização e que apesar de já ter sido alertada a Câmara Municipal e a Junta, continua “completamente destruído”.