Para além das consultas de medicina geral, os utentes da renovada Unidade de Saúde Familiar de S. Romão do Coronado dispõem agora de um horário específico para atendimento de saúde infantil, saúde materna, planeamento familiar, diabetes e hipertensão arterial e rastreio oncológico.

 "Ao encontro da saúde" é o slogan da renovada Unidade de Saúde Familiar de S. Romão do Coronado, que reabriu, esta quarta-feira, depois de três semanas fechada, para obras de requalificação. Com um novo visual, o edifício foi intervencionado no sentido de permitir uma melhor organização do espaço e dos serviços.

Dulcídia Castro, directora e médica desta unidade há 14 anos, ficou satisfeita com o resultado e não tem dúvidas que haverá no futuro um melhor funcionamento no que diz respeito à marcação de consultas e até de atendimento. "Apesar de ter apenas 15 anos, havia muito desperdício de espaço neste edifício, com muitas salas de pequenas dimensões que dificultavam um atendimento personalizado. Estas obras permitiram uma restruturação dos consultórios", referiu.

A directora assegurou que o orçamento não foi elevado, contudo "tudo o que foi pedido está cá. Não queríamos exagerar nos pedidos, queríamos apostar na funcionalidade e no conforto, quer dos profissionais, quer dos utentes".

Com seis salas para medicina geral, uma para saúde infantil e outro para a saúde da mulher, a Unidade de Saúde Familiar vai apostar na articulação dos diferentes atendimentos, fazendo deslocar um profissional aos consultórios para os atendimentos às crianças e à mulher nos horários específicos. "Agora há também no gabinete de saúde infantil uma porta de comunicação com o gabinete de enfermagem, para prestar um melhor atendimento aos bebés", referiu a médica.

A marcação de consultas poderá ser feitas por telefone ou localmente. Serão disponibilizados aos utentes os horários do seu médico e enfermeira de família, para que possa fazer uma marcação prévia (Consulta Programada). Se a situação clínica o justificar, ou seja, para resolução de situações agudas e breves, é-lhe sempre garantida a consulta aberta, no próprio dia, com o seu médico de família. A consulta ao domicílio tem que ser marcada previamente e destina-se apenas aos doentes dependentes ou temporariamente incapacitados de se deslocarem à Unidade de Saúde Familiar.

Para além das consultas de medicina geral, os utentes dispõem de um horário específico para atendimento de saúde infantil, saúde materna, planeamento familiar, diabetes e hipertensão arterial e rastreio oncológico.

Já a consulta de tuberculose vai deixar de funcionar, já que, pelo reduzido número de casos, o unidade não obteve autorização para a fazer, no entanto, Dulcídia Castro referiu que a está a ser equacionada uma proposta, pois considera o serviço "muito importante para os utentes".

Os 11 mil utentes, residentes nas freguesias de S. Romão do Coronado, São Mamede do Coronado, Covelas e Folgosa, confrontam-se agora com os corredores pintados de azul, "para transmitir paz" e com consultórios, especialmente decorados pelos profissionais "para criar um ambiente mais acolhedor e agradável".

Face ao elevado número de pessoas já inscritas, Dulcídia Castro referiu que o edifício está estruturado para receber um sétimo médico, caso as inscrições de utentes continuem a crescer.

Na secretaria o atendimento também vai sofrer alterações. Ao invés dos utentes esperarem de pé para serem atendidos, terão à disposição uma cadeira para maior conforto e evitar as filas extensas de pessoas que se aglomeram à porta do Unidade de Saúde Familiar.

Dulcídia Castro espera, no futuro, ver implementado na unidade um mecanismo electrónico de atendimento ao utente na secretaria, através do qual a pessoa saberá o horário e que médico fará a consulta: "o doente quando chega pode passar o cartão numa máquina onde vê que tem consulta marcada com o seu médico num determinado horário. Posteriormente vai aguardar na sala de espera central, onde num LCD aparecerá o consultório onde se deve dirigir".

A Unidade de Saúde Familiar vai estar aberta todos os dias úteis das 8 horas às 20 horas, pelo que para além desse horário, os utentes deverão dirigir-se ao SASU a Santo Tirso ou ao Centro Hospitalar do Médio Ave.