Select Page

Unidade de Saúde alerta utentes para a prevenção da diabetes

Unidade de Saúde alerta utentes para a prevenção da diabetes

De forma a assinalar o Dia Mundial da Diabetes, a Unidade de Saúde Familiar – Ao Encontro da Saúde, de S. Romão do Coronado, promoveu uma sessão de educação para a saúde sobre o tema.

“Evitar alimentos com grande densidade energética ricos em açúcares, gorduras e com sal. fazer várias refeições por dia de modo a não estar mais do que três horas sem comer e tentar não comer muito de cada vez”. Estes são alguns dos conselhos que a Unidade de Saúde Familiar (USF) – Ao Encontro da Saúde transmitiu aos utentes presentes na sessão, que tinha como tema “A Diabetes”.

Durante a iniciativa, que decorreu no dia 14 de novembro no salão do edifício sede da Junta de Freguesia do Coronado, médica e enfermeira explicaram aos utentes, maioritariamente seniores, da importância de ter hábitos de vida saudável na prevenção da obesidade, doença cardiovascular e diabetes, entre muitas outras patologias, assim como na melhoria da qualidade de vida. A coordenadora da USF, Marieta Santos, afirmou que esta sessão serviu para “alertar para os perigos e para a prevenção que se pode fazer para o perigo da diabetes e das suas sequelas e a prevenção e tratamento que pode ser feito a esta doença”. “Uma alimentação saudável e cuidada, o exercício físico regular, não se deixar engordar, ter um índice de massa corporal normal e ir com frequência às consultas médicas” é meio caminho para a prevenção de doenças, como o caso da diabetes.

Marieta Santos realçou que é “muito difícil” que o doente cumpra uma alimentação saudável, constituída por “cinco ou seis refeições diárias”, porque a população “não entende que tem que comer a meio da manhã, a meio da tarde e uma ceia”. Durante a sessão, houve uma senhora que contou que “só faz uma refeição completa, que é o almoço”.

A diabetes “pode não ter sintomas” e “muitas vezes é uma doença silenciosa”, em que, na “maior parte dos casos”, só é possível determinar através de “análises de rotina”. O “doente típico, que tenha diabetes tipo 2”, tem entre os “45 e 60 anos, excesso de peso, obesidade, muitas vezes hipertenso, fumador, com colesterol alto”.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização