Escola de Finzes transformou-se numa Aldeia de Natal, graças ao empenho dos pais, que trabalharam durante um mês para que “as crianças continuem a sonhar”.

Por todas as escolas do concelho da Trofa, o sentimento das crianças era o mesmo. Para além de significar a aproximação do Natal, o último dia de aulas do primeiro período também trouxe os primeiros presentes.

Apesar de demorado, o Pai Natal, ou melhor, os pais natais lá chegaram à Escola Básica e Jardim de Infância de Finzes, para entregar os presentes aos meninos.

Apesar de assinalar que o Pai Natal demorou a chegar, Bruna Sá estava feliz por ter recebido um kit de maquilhagem. “Eu gosto muito de pinturas”, contou.

Já Alexandre Rodrigues e Daniel Sá não demoraram para experimentar as pistolas, “de brincar” como frisou o segundo, que o Pai Natal oferecera.

O cenário da escola assemelha-se a uma aldeia de Natal. Para além das casas com neve, também não faltam as figuras alusivas à quadra. Tudo isto foi preparado pela Associação de Pais. “Esta festa foi preparada com muito trabalho, mas também com muito prazer, desde há um mês. Trabalhamos todos os dias, e dois fins de semana, para podermos dar esta alegria às crianças e criar uma aldeia de Natal. Eles saíram de cá numa sexta-feira e não havia cá nada. Na segunda-feira seguinte chegaram cá com isto tudo montado. Foi uma euforia”, descreveu António Ferreira, presidente da Associação de Pais.

Este trabalho justifica-se “numa altura de crise”, pois os pais querem que, pelo menos, as crianças “continuem a sonhar”. 

{fcomment}