Fez a segunda Volta a Portugal este ano e foi um dos responsáveis pela vitória da LA/MSS, por Xavier Tondo, na prova. Apesar de não ser aposta para vencer a competição, por ter apenas 23 anos, o treinador Manuel Zeferino conta com o indispensável apoio de Afonso Azevedo na equipa.

Muitos sabem que Xavier Tondo foi o grande vencedor da 69ª edição da Volta a Portugal, mas poucos estão cientes de que o espanhol, para garantir a vitória na última etapa da competição, teve que contar com o empenho de todos os colegas de equipa.

"Um por todos, todos por um" é o lema que melhor caracteriza o ciclismo, comprovando-se assim que é uma modalidade que só faz sentido, quando existem grandes equipas.

O ciclista trofense Afonso Azevedo foi dos grandes protagonistas da vitória de Tondo na Volta a Portugal, vivida intensamente por todos os elementos da equipa. "Foram momentos de grande alegria, festejamos lá em Viseu (local onde terminou competição) e no dia seguinte ainda estávamos muito eufóricos", revelou o jovem ciclista ao NT.afonso-azevedo.jpg

A carreira de Afonso Azevedo como ciclista começou quando tinha 10 anos e com a influência do pai. "O meu pai gostava imenso da modalidade e também tinha vizinhos que corriam. Resolvi depois começar a praticar para perder peso e manter uma boa condição física", referiu o atleta, que cinco anos mais tarde entrou para o Guilhabreu e, pouco tempo depois, agarrou a oportunidade de se tornar profissional na equipa da Maia.

Para Afonso esta foi já a sua segunda Volta a Portugal, em três anos como profissional. Com 23 anos, o ciclista revelou que ainda não é aposta do treinador Manuel Zeferino para vencer competições, o que não implica não ter um papel bastante importante na equipa: "este ano a equipa era bastante forte e eu tinha o papel de trabalhador, que apesar de não ser reconhecido nem valorizado pela televisão, é um lugar de grande responsabilidade".

Como ainda não luta pelos lugares cimeiros, ajuda, juntamente com outros ciclistas, os seus colegas a consegui-lo, como estar à frente do pelotão, protegendo-os do vento, dando-lhes água e, se for preciso, dando-lhes a sua bicicleta, como aconteceu com Afonso Azevedo. "Foi em Gondomar e estávamos nos últimos quatro quilómetros. Havia uma rotunda e as pessoas dispuseram-se na faixa da esquerda para nos verem passar pela direita. Contudo, na parte final há sempre necessidade de nos colocarmos na melhor posição possível e o Xavier Tondo foi pelo lado em que as pessoas se aglomeraram. Foi uma situação caricata, porque tive que lhe dar a minha bicicleta", afirmou.

Melhorar a nível pessoal, continuar a ser um corredor fundamental na equipa e que o treinador continue a apostar em si são os objectivos de Afonso Azevedo para o futuro. O contrato com a LA/MSS é válido por mais um ano, onde poderá mostrar ainda mais o seu profissionalismo. Trabalhar nesta equipa "é espectacular", pois para além de haver "ciclistas muito bons" existe a possibilidade de trabalhar com Manuel Zeferino, "melhor treinador português de ciclismo".

Para o ciclista trofense são vários os possíveis candidatos para substituir Cândido Barbosa no topo do ciclismo português: "temos muitos atletas de bom nível como o Tiago Machado, do Riberalves Boavista, o João Cabreira, da LA/MSS, o Vitor Rodrigues, da Liberty Seguros, e o Ricardo Mestre, do DUJA/Tavira, e que poderão singrar nesta modalidade".

Afonso Azevedo também sonha ser um dos melhores, no entanto o desejo passa por "grandes sacrifícios, para melhorar a todos os níveis, especialmente, nos contra-relógios".

O apoio das milhares de pessoas que todos os anos enchem as ruas na Volta a Portugal, para o atleta é "arrepiante", principalmente no Norte, região onde as pessoas "são mais fervorosas".

A atenção dada ao ciclismo só é dada na altura da competição rainha, o que muitas vezes faz com que se esqueça de outras competições como a Volta ao Algarve realizada todos os anos e que junta um pelotão "com bastante qualidade".

Na opinião do ciclista a comunicação social "só se interessou mais pelo ciclismo depois do regresso do Benfica à modalidade", compreendendo que fazer a cobertura de provas são muito dispendiosas.

Em jeito de conclusão, Afonso Azevedo agradeceu ao O Notícias da Trofa todo o apoio evidenciado durante a competição, sublinhando a qualidade jornalística e a tentativa de "cobrir todas as modalidades", concluiu.