Muro de Abrigo celebrou o 6º aniversário na presença de sócios, utentes e amigos. Durante o jantar foi apresentado “o sonho” da associação: a construção de um Lar de idosos.

O abrigo dos murenses, e não só, comemorou seis anos de trabalho em prol dos mais velhos e das famílias que, mais do que uma ajuda, procuram simplesmente um carinho.

Entre as cerca de 200 pessoas que no sábado quiseram cantar os parabéns à Muro de Abrigo, constavam os sócios, os utentes e amigos, o vice-presidente da Câmara Municipal da Trofa, Magalhães Moreira, o presidente da Junta de Freguesia do Muro, Carlos Martins, e o presidente da Assembleia de Freguesia, Baldomero Talaia.

“Este jantar pretendia, além da comemoração do aniversário, mostrar a todos o trabalho desenvolvido e os projectos para o futuro desta associação”, explicou Fátima Silva, responsável pela associação, lembrando a apresentação do projecto de arquitectura, que já se encontra concluído, para a construção de um espaço que possa albergar várias valências de apoio aos idosos, como um lar para 30 utentes, apoio domiciliário para 20 utentes, um centro de dia para dez utentes e um centro de convívio para 30 utentes.

Este projecto é “um sonho”, que Fátima Silva espera ver concretizado em breve. E para ajudar nesta e noutras causas foram ainda doados à Muro de Abrigo “várias peças e um quadro que foram leiloados” durante o jantar.

“Por nossa vontade a obra das novas instalações começaria amanhã, mas sabemos que não é assim, por isso vamos ter esperança”, garantiu Fátima Silva, deixando o apelo: “Só precisamos de financiamento para a sua execução e para isso é necessário que muita gente esteja envolvida nesta causa”.

Enquanto este projecto não passa do papel para a realidade, a associação continua o seu trabalho e o balanço ao final de seis anos, diz Fátima Silva, “é positivo”.

Para além de manter a funcionar o Centro de Convívio para idosos e o serviço de Apoio Domiciliário, a Muro de Abrigo pertence ao NLI (Núcleo Local de Inserção), prestando apoio às famílias que usufruem do Rendimento Social de Inserção das freguesias de Alvarelhos, Muro e Guidões. A associação concorreu ainda ao Programa Operacional de Potencial Humano (POPH) e conseguiu autorização para ministrar oito cursos de formação. “O trabalho que desenvolvemos é notório e já muito apreciado pelos que dele beneficiam. A nível da rede social também somos valorizados e reconhecidos”, concluiu.