Armindo Gomes deixou uma mensagem à paróquia, apelando à fé, humildade e valentia para “conter a enxurrada de crime e corrupção” e continuar a construir um “Bougado grande”. 

“Bougado fé. Bougado humildade. Bougado valentia. Bougado perseverança. Se assim fordes, continuais a ter o direito a ser chamados de Bougado grande, que há-de ser, e oxalá que seja, ainda maior”. Foi desta forma que o pároco Armindo Gomes encerrou o discurso na noite em que assinalou 50 anos de sacerdócio ao serviço de Santiago de Bougado.

No fim do jantar, o pároco não quis deixar de enviar “uma palavra” à população, apelando para que seja “valente, diante do raio do demónio que tenta entrar nesta região”. “É preciso ser valente para conter essa enxurrada de crime e corrupção”, preveniu.

Armindo Gomes considera que “se a paróquia não tivesse tradição de fé, com tolerância, muito diálogo e muito perdão, naturalmente não teria aguentado 50 anos”. A eucaristia comemorativa do jubileu serviu para “agradecer a Deus que tudo fez para que um pobre sacerdote aguentasse uma paróquia durante 50 anos”. “Esta paróquia colaborou e, sobretudo, desde que começou a confiar plenamente na minha pessoa, nas minhas contas, nas nossas obras, elas fizeram-se e de que maneira. Sempre chegou e nunca sobrou. Bougado grande tem o seu significado e a sua razão de ser. Que continue a ser assim, que continuará a avançar”, afirmou.

Leia a reportagem completa na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.

{fcomment}