A viatura médica de emergência e reanimação da unidade de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave, mais conhecida na população como “a carrinha amarela do INEM”, completou três anos de atividade.

Desde outubro de 2009, a viatura médica de emergência e reanimação foi ativada para cerca de 3800 situações de socorro. A carrinha, que está na unidade de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave, veio revolucionar a prestação de cuidados às populações dos concelhos de Famalicão, Trofa e Santo Tirso.

Mas para continuar a manter a qualidade do serviço, é necessário aumentar o número de operacionais. Francisco Sampaio, médico coordenador da VMER, afirmou que já “decorrem cursos e ações de formação” para médicos, no sentido de garantir “a escala operacional a cem por cento”.

Neste âmbito, está no horizonte a possibilidade de a equipa da VMER integrar as estruturas hospitalares do Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA). Este será o último passo para cumprir “todos os propósitos” que foram delineados aquando da criação da rede de diferenciação das urgências. Segundo José Dias, presidente do conselho de administração do CHMA, a integração poderá estar resolvida “nos próximos meses”. Ao integrar as estruturas hospitalares do centro hospitalar, a equipa da VMER passa a estar disponível para acorrer ao serviço médico, enquanto não é solicitada para situações de emergência, no exterior.

O anúncio foi feito na abertura das primeiras jornadas da VMER, que serviram para assinalar o 3º aniversário do funcionamento da viatura na região. Na mesma altura, Armindo Costa, presidente da autarquia de Vila Nova de Famalicão, sublinhou que a atividade da VMER “é um serviço de valor incalculável”, por ter “apressado a prestação de cuidados médico-hospitalares de acidentes ou doenças súbitas, salvando-se muitas vidas humanas”. Ao contrário do ano passado, em que o aniversário da VMER foi assinalado com um simulacro, desta vez, os coordenadores preferiram fomentar o aspeto formativo, com jornadas que decorreram na Escola Superior de Saúde do Vale do Ave da CESPU, em Famalicão, com cinco mesas redondas.

Leia a reportagem completa na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.

{fcomment}