O Centro Social e Paroquial de S. Mamede do Coronado assinalou o primeiro aniversário com uma festa simples, em que o convívio foi privilegiado.

Fez no domingo, 26 de outubro, um ano que o Centro Social e Paroquial de S. Mamede do Coronado abriu as portas para “dar melhores condições de vida àqueles que lutaram uma vida inteira”. A comemoração, singela, fez-se com utentes, colaboradores e parceiros, para “agradecer a Deus” e “não esquecer que há um ano se estava a concluir uma obra que há muito tempo era ansiada pelo povo de S. Mamede”, explicou Rui Alves, pároco da freguesia e presidente da direção do Centro.
Com um ano de funcionamento, as valências estão todas esgotadas, à exceção do apoio domiciliário. “Temos um protocolo com a Segurança Social para 30 utentes e só temos oito vagas, neste momento. No lar e centro de dia, já temos pessoas em lista de espera”, afirmou, em declarações ao NT.
Em termos financeiros, disse, a gestão do Centro “está equilibrada”, embora ainda existam encargos relativos “ao empréstimo contraído para a construção da casa”.
O balanço do primeiro ano de Centro “é ótimo”, pelo feedback de colaboradores, utentes e famílias.
Mas, o facto de a “máquina” estar bem oleada não quer dizer que vá deixar de ser tratada. Pelo contrário, o padre Rui Alves quer “melhorar”. “Há aspetos a aperfeiçoar. Quero que esta casa seja referência na Trofa, no distrito e no país. Não sou utópico, é um desafio que me ponho a mim, à direção e aos colaboradores. Temos de ser peritos na humanidade que aqui colocamos, diariamente. Gostava que esta instituição fosse sempre referencia-da como um local onde existe verdadeira humanidade e onde as pessoas se tratam muito bem”, evidenciou.
A festa contou ainda com a participação das alunas da Escola Passos de Dança e um lanche-convívio. Os utentes também foram protagonistas, ao declamarem poesia e frases inspiradoras.

“Gerações em Movimento” no Centro

Para assinalar o “Dia Internacional do Idoso”, o Centro Social e Paroquial de S. Mamede promoveu uma iniciativa em que pôs “Gerações em Movimento”. Foram convidadas várias instituições do município e a Escola Básica de Feira Nova, de S. Mamede do Coronado, para uma aula de ginástica, que foi ministrada pelos professores Fausto Saavedra e Sara. “Foi uma manhã com muita animação e repleta de muitos sorrisos, felicidade, demonstração de ternura e carinho entre crianças e idosos. As relações geracionais são verdadeiramente essenciais tanto para o processo de envelhecimento como para o crescimento salutar das crianças”, afirmou fonte da instituição promotora.
No final, foi distribuído um lanche a todos os idosos, e às crianças foi-lhes dada uma pequena lembrança. Ainda em gesto de agradecimento o Centro presenteou as instituições e a escola com uma recordação feita pelos utentes. “A intergeraciona-lidade deve ser vista e entendida como uma relação de convivência consonante, através do respeito ao próximo e não apenas às singularidades da idade. Acreditamos que desta forma visa uma melhor qualidade de vida das pessoas”, concluiu.