quant
Fique ligado

Ano 2012

Um ano de refeitório social

Publicado

em


O refeitório Porta de Sabores está aberto desde dezembro de 2011 e serve, diariamente, uma média de 40 refeições. Voluntários e parceiros possibilitam prossecução do projeto da Cruz Vermelha.

 Faz esta quinta-feira um ano, que as primeiras refeições foram servidas no refeitório social, que nasceu da parceria entre a Câmara Municipal da Trofa e a Cruz Vermelha. Num lugar recatado da feira/mercado da Trofa, o Porta de Sabores abriu com 18 utentes, mas atualmente serve uma média de 40 refeições diárias.

Desde a abertura e até ao dia 7 de dezembro, foram servidas “6787 refeições”, um número para qual os responsáveis da Cruz Vermelha olham com alguma preocupação. “É um pouco assustador. Nunca pensamos que iríamos servir tantas refeições e dar resposta a tanta gente. Isto é tudo obra da Trofa, não há aqui nenhum acordo com a Segurança Social. é um balanço muito positivo, porque estamos abertos, com voluntários e todo o apoio da comunidade”, relatou Carla Lima, técnica da instituição.

Durante o período de funcionamento, houve “muitas entradas e saídas de utilizadores”. Houve alguns que não voltaram por verem melhoradas as condições de vida e outros que tiveram que regressar. O mês mais concorrido foi “entre 13 de abril e 13 de maio”, com “55 utentes”, afirmou.

As expectativas foram excedidas e o espaço que a autarquia cedeu já é pequeno para tantas solicitações. Segundo a técnica, “a Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado vai ceder um armazém para guardar os alimentos”. “Houve um grande aumento de utilizadores e isso implicou um aumento de voluntários. Destes, há alguns que são acompanhados, no âmbito da ação social, para promover a sua integração”, frisou.

Para fazer face à elevada procura, também as dádivas tiveram que aumentar. Segundo Carla Lima, a Porta de Sabores conta com “parceiros fundamentais” que possibilitam que esta se abra cinco dias por semana. “Vemos que ainda há pessoas dispostas a ajudar. Tivemos uma verba mensal de apoio da autarquia e, na feira semanal, os vendedores dão-nos os legumes que estão bons e que podemos aproveitar. Temos a JMR que nos faz o pagamento do gás e a Frutas Ramalho que nos vai dando uma vez por semana alguns donativos. Até pessoas anónimas também deixam contributos, como abóboras, cebolas e nós recebemos tudo, porque tudo é bem-vindo e é pouco, porque com o aumento de utilizadores, com mais gente a precisar, também temos que nos precaver”, asseverou.

Há casos de pobreza conhecidos da instituição, mas muitos outros novos surgem com o agravamento da crise: “Há casais muito novos que nunca tiveram que recorrer a estes serviços. São pessoas que chegaram ao limite na procura de emprego e que nunca esperariam encontrar-se nesta situação”.

A partir do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar, no final do ano, a Cruz Vermelha espera apoiar alguns utentes com os géneros alimentares, para que estes os possam confecionar. “Se têm capacidade e conseguem fazer a sua refeição, esse momento deve ser promovido”, justificou.

Publicidade

Também os utilizadores do Porta de Sabores são sujeitos a “momentos de formação ao nível da saúde, higiene e empregabilidade”, pois “não é só chegar para almoçar, mas também proporcionar a integração deles na sociedade”.

Carla Lima também não esquece a colaboração dos voluntários: “O Porta de Sabores mantém-se, porque temos voluntários cinco dias por semana a cozinhar”.

A Cruz Vermelha assinalou o primeiro aniversário do refeitório social com um almoço especial. Em paralelo com o Projeto TER Prevenção, uma turma de Serviço de Mesa e Hotelaria da EB 2/3 de S. Romão do Coronado serviu o almoço, na escola, aos utentes, enquanto a turma CEF de CAD (Desenho Assistido por Computador), da EB 2/3 de Alvarelhos preparou a animação.

As pessoas que quiserem ser abrangidas pelo Porta de Sabores devem dirigir-se à Loja Social, a qualquer dia da semana, entre as 9.30 e as 17.30 horas, onde será atentido por um técnico, que fará o encaminhamento. Para levarem a refeição para a noite, os utentes devem levar recipientes.

O ano de 2013 não se adivinha fácil, pelo que a Cruz Vermelha espera que haja novos casos de apoio ao nível do refeitório social.

{fcomment}

Publicidade
Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Ano 2012

Verbas da Câmara para as obras da Junta tema da Assembleia

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária de dezembro da Assembleia de Freguesia de S. Romão foram aprovados o Plano de Atividades e Orçamento para 2013.
Informação sobre a reunião do executivo e membros da Assembleia de Freguesia com Joana Lima sobre as “transferências deliberadas em maio de 2009 e destinadas à remodelação da Casa Quinta de S. Romão” provocou divergências.

(mais…)

Continuar a ler...

Ano 2012

Assembleia de S. Mamede – Documentos previsionais aprovados com abstenção do PSD

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária da Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado foram aprovadas, com a abstenção do PSD, as propostas para o Plano de Atividades, PPI, Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013.

O Plano de Atividades, o Plano Plurianual de Investimentos (PPI), Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013 estiveram em discussão na última Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado, que decorreu na quinta-feira, dia 20 de dezembro.

(mais…)

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também