O técnico do CD Trofense, Tulipa, mostrou-se hoje “confiante” em conseguir a primeira vitória em casa, sexta-feira, frente ao Marítimo, no jogo inaugural da oitava jornada da Liga portuguesa de futebol.
    O Trofense parte para este jogo com quatro pontos e a ocupar o penúltimo lugar da tabela (15º lugar) – só conseguiu uma vitória (2-0 em Setúbal) e um empate (0-0 com a Académica) -, mas os maus resultados não preocupam o técnico, sobretudo porque Tulipa acredita que a equipa “já está a melhorar”.

    Tulipa chegou à Trofa à terceira jornada, para substituir António Conceição, o técnico que conduziu o Trofense à Liga principal. Desde que assumiu o comando do clube, a equipa só perdeu uma vez (1-0 na Amadora), ganhou para a Taça de Portugal (face a Aliados de Lordelo e Gondomar) e conquistou os primeiros pontos no campeonato.

    “A confiança que sinto e os meus jogadores sentem advém das vitórias e daquilo que temos feito. A cada semana que passa, os automatismos são adquiridos e a equipa sente-se mais confiante”, disse Tulipa, no final do último treino antes da recepção ao Marítimo.

    Sobre o adversário desta oitava jornada, Tulipa admitiu que os madeirenses são “fortes” e que se “sentem muito cómodos a jogar fora de casa”.

    “Sabemos que é um jogo em que temos de entrar muito concentrados. A equipa está a apresentar boa estabilidade na organização defensiva e abordaremos o encontro com segurança e paciência”, disse o técnico do Trofense.

    Depois de cinco jogos sem perder e sem sofrer qualquer golo, o Trofense quer, admitiu Zamorano, “dar uma vitória aos adeptos”.

    “Quando se ganha o ambiente é sempre diferente. Temos conseguido os nossos objectivos e isso faz com que a equipa esteja motivada. Jogar perante os nossos adeptos pode ser um ponto a nosso favor. Eles merecem uma alegria em casa e espero que continuem a acompanhar-nos fora também”, apelou o médio.

    A propósito do “factor casa”, Tulipa disse apenas estar “convicto” de que “a pressão de uma equipa que está mal é igual dentro e fora de casa” porque o objectivo é “ganhar sempre”.

    “O espírito da equipa é ganhar todos os jogos. O nosso público comparece e apoia-nos. Há um envolvimento muito grande e isso é bom, mas decisivo é ganhar e colocar o clube onde ele merece”, concluiu o treinador do CD Trofense.

    Zamorano lembrou, por seu lado, que “a sorte também é importante”, vincando que “o trabalho diário tem de ser recompensado”: “este lugar na tabela não é condizente com o nosso empenho”.

    O Trofense treinou hoje pela última vez na Trofa antes da recepção ao Marítimo – o clube madeirense segue em sétimo lugar, com 11 pontos -. sexta-feira, às 20:30. O encontro terá arbitragem de Lucílio Baptista, de Setúbal.