O treinador do Trofense, Tulipa, não escondeu a tristeza após a derrota com o Paços de Ferreira, que “devolveu” a equipa ao escalão secundário, no jogo da 30.ª jornada da Liga portuguesa de futebol.

“Tínhamos a ambição grande de vencer o jogo em Paços de Ferreira e depois fazermos as contas nos outros jogos, mas não fomos capazes, nunca encontrámos soluções para sermos mais fortes do que o Paços”, disse Tulipa.

O jovem técnico do Trofense lamentou que a equipa não tivesse alcançado a “merecida manutenção” e assumiu a responsabilidade pelo sucedido: “o grande responsável sou eu e só tenho de pedir desculpa a todos as pessoas que sempre nos apoiaram”.

Tulipa revelou ainda disponibilidade para continuar no clube, com quem tem mais um ano de contrato, mas deixou a decisão nas mãos dos responsáveis do clube, optando ainda por não tecer grandes comentários sobre a possibilidade de o Trofense se manter na Liga por via da secretaria.

O treinador do Paços de Ferreira, Paulo Sérgio, disse no final do jogo que a equipa, “bem vistas as coisas”, podia ter ficado “uns lugares acima” e considerou justo o resultado.

“Não foi um grande jogo, mas fomos mais equilibrados, tranquilos e marcámos numa das poucas oportunidades de golo do jogo”, disse Paulo Sérgio, que deixou ainda palavras de conforto ao Trofense e ao seu técnico Tulipa.

Em relação à final da Taça de Portugal, a 31 de Maio, no Estádio Nacional, frente ao FC Porto, o técnico dos “castores” disse que só vai começar a trabalhar nisso a partir de domingo, acrescentando: “os treinos vão ser abertos e todos os dias serão indicados dois ou três jogadores para prestarem declarações”.

Na sala de imprensa, o avançado do Paços de Ferreira William, autor do único golo do jogo, o nono da sua contabilidade pessoal, disse estar “muito feliz” pelo regresso mais de cinco meses depois e reconheceu ter ganho mais confiança para poder estar no Jamor.

“Estava um pouco ansioso, mas só tenho de agradecer o presente do Paulo Sérgio. Estou muito feliz e agora vou tentar ir ao Jamor, mas, se não puder, vou ficar a torcer pelos companheiros”, disse William.

O avançado brasileiro do Paços de Ferreira e melhor marcador da equipa na Liga, com nove tentos, tinha marcado o último golo a 06 de Dezembro frente à Académica, jogo onde se lesionou gravemente no joelho esquerdo.