Hoje à noite, os trofenses vão conhecer o projecto da Regeneração Urbana dos parques da cidade.

Dar vida aos parques, mantendo a harmonia do espaço e o estatuto de “pulmão verde” da cidade é o objectivo do projecto de Regeneração Urbana que vai unir os Parques Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro.

O projecto vai ser apresentado à população numa sessão pública marcada para hoje, sexta-feira, às 21.30 horas, no auditório da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado.

Apesar de ser um dos locais mais emblemáticos do concelho, os trofenses parecem estar em consonância com a necessidade de uma intervenção.

Na segunda-feira, o parque estava deserto e movimento só se vislumbrava no parque de estacionamento com o entra e sai de viaturas. Fernando Silva, habitante de S. Martinho de Bougado, passeava o cão num dos extremos do parque e concordava com a requalificação do espaço. Defende que “não se cortem muitas árvores”, mas salienta que “é uma obra necessária”. “O parque está um bocado desprezado. Eu defendo até que os bancos fossem de madeira, porque como estes são de alumínio, há indivíduos que os estragam e roubam durante a noite. É uma obra que deve ficar bonita”, atestou.

Também Alberto Sousa considera positiva a união dos parques: “Acho que deviam restaurá-los, cortar algumas árvores que têm muitos anos de vida e estão a cair e plantar novamente”.

A Câmara Municipal garante que esta intervenção “vai permitir duplicar os espaços verdes”. O objectivo é “atrair visitantes aos Parques, criando condições para que todos possam usufruir das novas valências”, como espaços para a prática desportiva e criação de percursos pedonais.

O projecto prevê ainda a instalação de um novo espaço de diversão para as crianças, valência que agrada a Vera Martins, que “tem uma filha de quatro anos” com quem vai “muitas vezes para o parque”.

A trofense defende ainda que o espaço “está muito morto” e que precisa de alguns melhoramentos, como “umas novas casas-de-banho”.

Um espaço lounge, onde “os utilizadores dos Parques poderão ler um livro, conversar ou apenas desfrutar da paisagem e da calma bem no centro da cidade”, e a instalação de “uma concha acústica e dois novos coretos para a realização de espectáculos musicais, teatro, dança, entre outras manifestações artísticas, privilegiando as tradições da Trofa” são outros dos equipamentos previstos na requalificação.

No entanto, quem quer ver o projecto esmiuçado só tem que marcar presença na sessão pública que vai “esclarecer os trofenses sobre a intervenção de que os parques vão ser alvo ao longo do projecto”.

Com um investimento de cerca de 9 milhões e 400 mil euros, a Regeneração Urbana é comparticipada em 80 por cento pelos Fundos Estruturais Europeus, sendo o restante contrapartida local.