Grupo de alunos do Colégio da Trofa escolheu como tema do trabalho de Área de Projecto a solidariedade. Uma das iniciativas previstas decorreu na noite de sexta-feira.

 

“Solidariedade é saber dar a mão a um outro amigo que é teu irmão”. Esta foi uma das mensagens que a Oficina de Cavaquinhos e os Amigos do Canto do TCA (Trofa Comunidade de Aprendentes) transmitiram ao público durante o espectáculo solidário “Por um novo sorriso”. As bailarinas da escola Passos de Dança subiram ao palco e encantaram o público com os passos executados ao som de música jazz e clássica. A encerrar o espectáculo de sábado, a Tuna Académica da Escola Superior de Enfermagem do Porto levou a tradição estudantil ao Salão Nobre da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado. A surpresa da noite foi a participação especial de dois alunos (Beatriz Moniz e João Fonseca) do Colégio da Trofa que também quiseram associar-se à causa e, para isso, interpretaram dois temas musicais.

A iniciativa foi promovida por um grupo de alunos do Colégio da Trofa, no âmbito da disciplina de Área de Projecto. Ana Barroso, Bruno Figueiredo, Bruno Soares, João Fonseca, Mauro Marques e Rui Silva frequentam o 12º ano e meteram os pés ao caminho para levarem um novo sorriso aos utentes da Muro de Abrigo. O espectáculo serviu para angariar fundos que vão ser usados para realizar outra actividade: um passeio ao Bom Jesus, em Braga, em meados de Março, em que os alunos pretendem conviver com os idosos, reavivando algumas tradições. Para além disso, vão ainda organizar um espectáculo de variedades na instituição.

Depois de “conhecer” a associação murense, os jovens resolveram desenvolver as suas actividades de forma a proporcionar “momentos diferentes” a todos os utentes. Fátima Silva, responsável da associação, ficou “muito satisfeita, comovida e agradada” com a ideia dos jovens, sobretudo pelo facto de “nem serem do Muro”. “Acho que vai ser um trabalho muito bonito”, atestou.

Fátima Silva garantiu que os idosos se sentiam “contentes e vaidosos” com a atenção e dedicação dos jovens. “’Porquê nós? Mas eles não são daqui do Muro’ era o que os idosos mais comentavam. Aliás quando reparam que não temos qualquer subsídio ficam admirados como é que conseguimos manter uma instituição já com tanta gente”, garantiu a responsável.

Bruno Soares foi o porta-voz do grupo de alunos e explicou que o objectivo era também “realizar o maior espectáculo organizado pelo Colégio da Trofa”. “A vida é uma boa escola e os mais velhos podem-nos transmitir a sua experiência e ajudar-nos a enfrentar o futuro e os problemas. É uma mais-valia para todos nós termos a possibilidade de conviver com os idosos da Muro de Abrigo e porque não dar um novo sorriso a essas pessoas, mas apesar de todo o trabalho, nós acabamos por também ganhar um sorriso novo”, afirmou.

A professora de Área de Projecto, Liliana Ribeiro, não escondia que ficou “muito surpresa” quando o grupo de alunos lhe apresentou o projecto. “Demonstraram um empenho muito grande, esforçaram-se e conseguiram superar as expectativas. Estou muito orgulhosa e tento ajudá-los em tudo e mais alguma coisa, porque é esse o meu papel: formar jovens capazes e felizes pelos projectos em que se envolvem”, declarou a docente.