Francisco Cruz venceu o FIFA Interactive World Cup 2011. O jovem trofense disputou a final do campeonato do mundo de FIFA nos Estados Unidos contra os melhores jogadores deste ano.

As suas mãos comandam os melhores jogadores do mundo, este ano ao serviço do Chelsea, mas também já dominaram o Manchester e o Real Madrid. Para isso treina “uma hora por dia”, o que para um campeão “nem é muito”. Chama-se Francisco Cruz, tem 16, é da Trofa e é o novo campeão do mundo de FIFA 2011. Na quinta-feira, 9 de junho, venceu a última partida do FIFA Interactive World Cup 2011 contra o adversário colombiano Javier Muñoz, por quatro bolas a uma. O Mayan Theater de Los Angeles, nos Estados Unidos, foi a arena da fase final desta prova, onde só chegam os melhores jogadores do mundo deste jogo de consola.

Mas os feitos deste jovem trofense não ficam por aqui. Para se qualificar teve de voar até à Polónia, onde participou no campeonato nacional daquele país, já que em Portugal não se realizou.

 

“O torneio era acessível a toda a gente e eu tive sorte, porque tinha alguns patrocinadores que me ajudaram a participar sem muitos custos. O campeonato mais próximo era em Espanha, mas era muito competitivo e quando surgiu a oportunidade optei por este país da Europa de Leste. Consegui ganhar e a passagem para o torneio do Campeonato do Mundo, em Los Angeles”, explicou Francisco Cruz, já de regresso à Trofa. Em 2009, o jovem já tinha participado no campeonato do mundo, que decorreu em Barcelona (Espanha). “Consegui um 3º lugar”, recordou com orgulho.

Neste torneio, “o jogo mais difícil foi o da meia-final”, mas o pleno de vitórias só não foi conseguido por um empate, ainda na fase grupos. O segredo para os bons resultados é “a conjugação de vários factores, um deles é a sorte, outro é alguma perícia”, sem nervos à mistura.

Mas para ser campeão do mundo de um jogo de consola, Francisco Cruz não passa a vida “agarrado” ao comando. “Este ano até passei menos tempo do que em anteriores e coincidiu com o título de campeão mundial, mas acho que duas, três ou até quatro horas semanais não é muito. Normalmente, jogo uma hora por dia, o que equivale a quase três jogos”, confessou.

Da participação no torneio, Francisco Cruz guarda, para além do prémio monetário de 20 mil dólares (cerca de 13.800 mil euros), a recordação das “viagens de helicóptero, de iate e de limusine”. jovem ganhou ainda a participação na gala da FIFA, onde é entregue o troféu ao melhor jogador do mundo, que vai, depois, entregar o troféu ao campeão trofense. Francisco gostava de receber o prémio das mãos de “Ronaldo ou Messi, porque são os melhores jogadores de futebol da atualidade”. “Não me sinto nenhum jogador em especial, apenas tento continuar a minha vida, conseguir títulos como este e ir à gala da FIFA que é algo que uma pessoa normal não consegue normalmente”, confessou.

Dentro das quatro linhas virtuais, Francisco Cruz domina, na vida real fica-se pelos “jogos com os amigos”, onde dá “uns toques”. Enquanto campeão do mundo, a sua vida pouco ou nada mudou, embora tenha tido “80 pedidos de amizade em dois dias” no Facebook.

Se a organização mantiver o que tem sido feito em edições anteriores, Francisco também ganhou lugar no próximo campeonato do mundo, que pode ter lugar “no Dubai”. “Se for como este ano, vai ser mais uma experiencia inesquecível”, garantiu.

 

{fcomment}