A Comissão Social de Freguesia do Muro promoveu uma tarde diferente, no recinto da capela de S. Pantaleão. Os jogos tradicionais foram reis no Dia de Portugal.

No dia em que se comemorou Portugal, a Comissão Social de Freguesia do Muro quis reavivar algumas tradições e costumes nacionais. No recinto da capela de S. Pantaleão, os balões vermelhos pendurados em cordas não demoraram a ser rebentados pelos jovens vendados. Os mais pequenos não precisavam da venda e tentavam a sua sorte com o pau pontiagudo. O problema de rebentar os balões era mesmo a farinha que deixava as roupas, o rosto e o cabelo brancos.

Noutro ponto do espaço, o jogo da malha dominava as atenções. Os gritos de frustração por não acertar no “meco” faziam-se ouvir por cima dos sons metálicos da malha a embater no chão.

Os mais recatados podiam sentar-se à sombra das árvores e assistir às atividades. Depois de muito esforço, nada como um lanche para retemperar forças, bem ao gosto português.

Fátima Silva foi uma das organizadoras e explicou que o objetivo desta tarde de jogos tradicionais para todos era que “a população do Muro convivesse”. A entrada e participação eram gratuitos e apesar de “a afluência poder ter sido maior”, Fátima Silva garante que “foi muito engraçado”, sobretudo no jogo das malhas, que teve “muita adesão”.

Em setembro, a Comissão Social de Freguesia tem já prevista a realização de um concerto com os diversos grupos e bandas do Muro, vocacionado para a população mais jovem.

{fcomment}