Pode ser um oásis no futebol português, mas não é isso que fará o Trofense manter-se na primeira liga. O clube da Trofa recebeu a taça de campeão da Liga de Honra do ano passado, com um misto de satisfação e receio por estar numa balança que ainda não tombou para a continuidade no escalão maior do desporto rei.

 Depois de receber o troféu de campeão da competição pela Federação Portuguesa de Futebol, foi a vez da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) entregar, pelas mãos do presidente Hermínio Loureiro, outra taça correspondente ao feito inédito conseguido no segundo ano em que esteve na Liga de Honra.

Em declarações ao NT/TrofaTv, Hermínio Loureiro afirmou que o Trofense “é um projecto credível” e desdramatizou a posição frágil do clube, referindo que “ainda há muito campeonato pela frente”.

O presidente da LPFP afirmou que o emblema da Trofa “tem um excelente presidente e um bom plantel”, mas por estar a estrear-se na Liga Sagres está “a vencer algumas adversidades”, que são o “custo da inexperiência”.

“O que é preciso é que os sócios e os adeptos continuem a acreditar e a apoiar, porque este é um projecto muito credível”, sublinhou.

Sobre as declarações recentes sobre o potencial de Rui Silva para a sua sucessão na presidência da Liga, Hermínio Loureiro afirmou que o presidente do Trofense “é um bom gestor” e uma pessoa “que procura gerar consensos”.

“Tem uma visão muito positiva sobre o futebol, um futebol diferente e moderno e não me canso de o elogiar, porque ele merece. Tem feito um excelente trabalho à frente do Trofense, mas também pensa o futebol de uma forma moderna”, afirmou.

Até ao final do campeonato, o Trofense tem seis jogos para poder garantir a manutenção, com a possibilidade de no futuro ver o presidente que o fez chegar à primeira liga, como presidente da maior entidade do futebol português.