danielramos.JPG

 

 

 

 

 

Contratado no início da época 2005/2006 e com indicações para, pelo menos, manter o Trofense na 2ª Divisão, Daniel Ramos surpreendeu ao colocar a sua equipa no primeiro lugar do campeonato, que dá oportunidade ainda de subir à Liga de Honra e defrontar grandes equipas portuguesas.

Relativamente ao campeonato, Daniel Ramos afirmou que “há que respeitar todas as equipas pelo seu todo, já que no início da época não apontavam o Trofense como um dos ‘favoritos’. No fim da primeira volta continuaram a não levá-lo a sério, até que ao fim de trinta jornadas o Trofense consegue o primeiro lugar”. O treinador assumiu ainda que havia equipas “com planteis melhores, que o nosso”, mas que não souberam “aproveitar a qualidade que tinham”.

Quanto ao jogo com o Lousada, Daniel sublinhou ainda que a equipa “precisa de continuar a ser cautelosa, pragmática e, acima de tudo, humilde. Adivinham-se dois jogos difíceis, que poderão ditar outro feito para o clube, ou seja, a subida à Liga de Honra. Precisamos de ter toda a gente disponível, de fazer dois bons jogos e aproveitarmos as oportunidades e fazer esse jogo com uma equipa organizada, quer a defender, quer a atacar”.

José Leitão, presidente da equipa trofense mostrou-se muito satisfeito com a vitória do seu clube “e com toda a entrega e união que este grupo de trabalho demonstrou até ao fim do campeonato”. Quanto à continuação de Daniel Ramos na chefia da equipa, o presidente afirmou que “já houve conversas acerca disso” e demonstrou vontade que o treinador continue no clube.

Os jogos referentes ao play-off, realizam-se no dia 13 de Maio, às 16 horas, no reduto do Lousada e no dia 21 de Maio, pelas 17 horas, no Estádio Clube Desportivo Trofense.

Trofense sem derrotas em casa

 

Depois de trinta jornadas disputadas, o Trofense sagrou-se campeão da série A, da 2ª Divisão, com 52 pontos e com um treinador a quem apenas se pediu para manter o Trofense na 2ª Divisão. Até chegar aqui, o Trofense teve bons momentos, mas também passou por alguns “calafrios”.

 

Contra tudo e contra todos, o Trofense na época de 2005/2006 conseguiu fazer história ao conquistar, pela primeira vez a liderança da 2ª Divisão Nacional, série A. O apuramento para a subida à Liga de Honra não se antevê fácil e, o Trofense tem pela frente mais dois jogos, agora com o campeão da série B, o Lousada.

Numa época em que o Trofense não era considerado como um dos “favoritos”a ganhar o campeonato, a primeira jornada ficou marcada pelo empate da formação trofense frente aos Sandinenses, a uma bola. Daí até à quarta jornada somaram-se três vitórias contra o União, o Freamunde e o Ribeirão, tendo sido a última vitória, o lançamento do Trofense para a primeira posição, lugar que manteria até ao fim. No jogo seguinte e, defrontando o Sporting de Braga B, o campeão da série A consentiu a perda de dois pontos num empate a 2-2. No jogo seguinte, “derby” regional com o Famalicão, o Trofense levou a melhor e venceu a equipa famalicense por 2-1.

Na entrada da décima terceira jornada arrecadou mais quatro vitórias, até que ao defrontar novamente o Lixa nesta época (a primeira tinha sido na Taça de Portugal em que perdeu em casa por 1-3) somou apenas um ponto, num resultado nulo.

Na última jornada da primeira volta, o Trofense consentiu a sua primeira derrota no campeonato frente ao Fafe, por 2-1. A equipa abalou com este resultado e na jornada seguinte voltou a perder, desta vez com os Sandinenses por duas bolas a zero.

Contudo num dos jogos decisivos, em que defrontava o União da Madeira, equipa que começava a perseguir a formação de Daniel Ramos, o Trofense arrecadou uma vitória difícil por 2-1, em casa, assim como nos jogos que se seguiram, com o Freamunde por 0-1 e com o Ribeirão por 2-0. A perda de três pontos em Braga, no jogo da vigésima jornada colocou acesa a “luta” do Trofense e do União da Madeira pelo primeiro lugar.

Na vigésima sexta jornada, a oportunidade de substituir o Trofense (que folgava) na lideranaça do campeonato, foi desperdiçada pelo União, que deixou escapar três pontos na derrota, em casa, com os Sandinenses. Regressando do descanso, a formação trofense também não foi além de uma derrota com o Valdevez, quase condenado à despromoção. Na jornada vinte e oito o Trofense venceu o Lixa por 3-1, enquanto que o União voltou a “escorregar” e a perder três pontos, desta vez com o Freamunde. Ao Trofense bastava vencer o próximo jogo com o, já despromovido Torcatense para festejar a conquista da 2ª Divisão, série A. E conseguiu. A vitória folgada por 3-1 em S. Torcato, permitiu que a equipa trofense regressasse a casa com a conquista dos três pontos e do campeonato.

Com o Fafe só a festa importava, mas mesmo assim ainda deu para somar mais um ponto, em que o marcador se fixou em 2-2.

Findo campeonato, o Clube Desportivo Trofense consegue a liderança com cinquenta e dois pontos, distribuídos por quinze vitórias, sete empates e quatro derrotas, sendo estas sempre fora de casa, com um treinador a quem apenas se pedia a manutenção.

O melhor ataque desta divisão é da formação do Camacha, que marcou quarenta e sete golos, enquanto que o ataque menos concretizador pertence ao Torcatense e ao Ribeirão, com apenas dezoito golos marcados. O Ribeirão tem o melhor plano defensivo, porque só deixou entrar na sua baliza, quinze bolas.

Quanto à lista nacional de melhores marcadores, que engloba jogadores da 1ª Liga Nacional, Liga de Honra e 2ª Divisão Nacional. Em primeiro surge Nuno Sousa, do Gondomar e Bock do Vizela, da Liga de Honra, ambos com dezanove golos. Reguila surge em quarto, juntamente com Meyong, melhor marcador da 1ª Liga Nacional, com dezassete golos marcados. Em vigésimo primeiro lugar está Xico com doze golos apontados, assim como Saganowski, do Vitória de Guimarães. Vítor Hugo também se incorpora nesta lista, com cinco golos marcados.