O CD Trofense não conseguiu impôr-se ao Vitória de Guimarães, perdendo em casa, por um zero, possibilitando assim que os vitorianos se mantenham na corrida à subida. A equipa de Daniel Ramos, apesar de ter entrado mal no jogo, acabou por fazer uma segunda melhor, pressionando muito e obrigando o Guimarães a defender muito. Ao Trofense faltou pontaria para marcar.

Apoiados por cerca de 1300 adeptos, os jogadores do Vitória entraram na partida com o intuito de a resolver rapidamente. Não se estranhou, por isso, o maior caudal ofensivo dos vitorianos que culminou no golo de Otacílio à passagem do quarto de hora. Um erro de Vítor permitiu que o Guimarães se colocasse muito cedo à frente no marcador.trofenseguimaraes.gif
A equipa vimaranense entrou de forma mais objectiva e dinâmica, construindo ocasiões de grande perigo junto à baliza defendida por Vítor. Como corolário, chegou à vantagem à passagem do primeiro quarto de hora.
Em vantagem no marcador, a formação comandada por Manuel Cajuda mudou de estratégia, passando a defender a importante vantagem e só procurando a área adversária através de lances de contra-ataque.

Na segunda parte, o Trofense foi muito mais acutilante e tentou por todos os meios chegar ao empate. Contudo, os homens da Trofa esbarraram numa defesa intransponível que teve em Franco e Danilo os expoentes máximos da segurança e coesão, dificultando assim o trabalho da equipa de Daniel Ramos.

A finalização foi o que mais falhou no Trofense, ao ponto de Daniel Ramos, treinador da Trofa afirmar na conferencia de imprensa que "faltaram-nos golos", frisou.

Por seu lado Manuel Cajuda reconheceu a "fraca qualidade do jogo mas o que mais no interessava era marcar, e conseguimos", acrescentando que " a esperança na subida mantém-se", ressalvando que "já subimos no ultimo jogo, no ultimo minuto e até no período de descontos por isso para já está tudo em aberto", concluiu.