Um grande golo do avançado senegalês Sougou, aos 66 minutos, permitiu hoje à Académica conquistar uma vitória tangencial sobre o Trofense (1-0), adversário directo na luta pela manutenção na Liga portuguesa de futebol.

Com este resultado, os “estudantes” aumentaram de três para seis pontos o avanço sobre o conjunto da Trofa, afastaram-se ainda mais da “linha de água” e colocaram-se, segundo as contas do treinador Domingos Paciência, a duas vitórias da salvação.

Sem Hélder Barbosa, por castigo, o treinador do Trofense, Tulipa, teve que prescindir de Varela, Edu Souza e e Delfim, todos lesionados, mas pôde contar com Hugo Leal, um antigo “estudante”, e com o avançado David Calado, embora este tenha ficado no banco. Tulipa apostou num 4x3x3.

Já Domingos Paciência teve todo o plantel disponível, à excepção do central Amorerinha, que não deveria ser opção para o “onze”, face ao regresso da dupla Orlando/Luiz Nunes. Surpresa foi a inclusão do médio Diogo Gomes, prescindindo de Madej, talvez devido à sua exibição menos conseguida frente ao Nacional, na semana passada.

Tal como previsto e vaticinado por um dos “capitães” da “Briosa” durante a semana (Orlando), assistiu-se a um jogo muita atabalhoado, com muito pontapé para o ar, sem grandes jogadas de perigo para as duas balizas.

Apesar desse cenário, foi o Trofense a equipa que mais atacou e ameaçou durante os primeiros 45 minutos, com o avançado Rui Borges a ameaçar a baliza de Peskovic por duas vezes (08 e 36 minutos).

Quanto à equipa da casa, foram precisos 22 minutos para conseguir uma jogada com princípio, meio e fim, mas este a resultar num canto.

O avançado Sougou, aos 27 minutos, deslumbrou-se, uma vez que tinha tudo para fazer golo, mas preferiu passar para a “terra de ninguém”, quando tinha apenas o guardião Marco pela frente.

Na segunda parte, embora os da casa viessem com mais vontade para resolver o jogo, com a entrada de Cris para o lugar do apagado Diogo Gomes, não foram muitas as verdadeiras ocasiões de perigo, embora nos dois minutos iniciais a bola tenha rondado com algum perigo a baliza do Trofense.

Lito foi o avançado mais perigoso da “Briosa”, ao cabecear por três vezes ao lado da baliza de Marco, enquanto Sougou reclamou grande penalidade, aos 50 minutos.

O mesmo Sougou estaria em evidência ao inaugurar o marcador à passagem do minuto 66, num remate indefensável no vértice direito da grande área, entrando o esférico no ângulo superior esquerdo da baliza de Marco.

O Trofense fez o que lhe competia: ir atrás do prejuízo. Com as entradas de Pinheiro e sobretudo Reguila, os da Trofa foram, sem dúvida, mais “reguilas” e poderiam ter empatado o jogo, através de Pinheiro, que atirou uma bola ao poste (81 minutos), e Reguila (83), a falhar o golo à frente de Peskovic.

Na parte final, A Académica limitou-se a segurar a vantagem e a defender o resultado favorável, com o defesa central Berger a entrar a cinco minutos do fim, tal era o sufoco.