Através do gabinete de arquitetura de que é sócio, Pablo Rebelo participou na conceção do troféu que a seleção nacional conquistou no Europeu de Ténis de Mesa no domingo, 28 de setembro, no Meo Arena, em Lisboa.

Uma das notícias de destaque do passado fim de semana foi a vitória da seleção portuguesa no Europeu de Ténis de Mesa, que fez o país olhar para Marcos Freitas e companhia.

Depois de uma final emocionante, diante da hexampeã Alemanha, foi a equipa das quinas que levantou o troféu. Esse também não passou despercebido pelo design arrojado e invulgar e por permitir aos seis atletas lusos levar para casa um pouco dele.

A conceção da peça teve a participação de um trofense, Pablo Rebelo, através de uma parceria entre o gabinete de arquitetura de que faz parte (Pablo Pita) e a SPSS design.

Em declarações ao NT, Pablo Rebelo explicou que a “particularidade” da peça é a “fragmentação” em troféus individuais para cada membro da equipa, funcionando como um todo quando montado. “Este conceito reflete o princípio básico do desportivismo e espírito de equipa que se prendeu realçar. De todos, um”, asseverou.

O estratificado feito em faia e os troféus individuais de cortiça mostram a intenção de conceber um objeto que tivesse em conta a cidade e a identidade portuguesa.

“Poder desenhar o troféu que está associado a um feito desportivo e nacional desta importância deixa-nos orgulhosos. Acompanhamos a modalidade com atenção e temos a perceção da escala e dificuldade desta conquista. Os jogadores superaram-se e estão todos de parabéns”, concluiu.