Vera Costa é da Trofa e integra o grupo de 20 pessoas que viajou para a Guiné-Bissau para distribuir bens nas aldeias de Dulombi e Galomaro.

Em 2010, Gil Ramos decidiu viajar com o primo e conhecer a aldeia onde o pai esteve durante dois anos no Ultramar, há quatro décadas, na Guiné-Bissau. Os dois aventureiros percorreram Dulombi num carro citadino e encontraram uma terra “parada no tempo”. No pequeno automóvel levaram alguns bens para distribuir, mas a receção calorosa da população motivaram-nos a realizar uma missão de ajuda humanitária.

Esta quarta-feira, um grupo de 20 pessoas, entre voluntários e ex-combatentes, partiu de Vila do Conde rumo a essa aldeia guineense. Entre a comitiva está uma trofense: Vera Costa sensibilizou-se com o relato de Gil e do namorado e fez questão de “integrar a outra parte do processo” da ajuda humanitária. Ou seja: “Já recolhi o material, já dei o que era meu e agora vou entregá-lo em mãos”. 

Durante 12 dias, Vera vai distribuir, juntamente com o grupo, “material escolar, material hospitalar (camas e uma incubadora), consumíveis, material desportivo, jogos didáticos e brinquedos”. 

O grupo vai percorrer algumas escolas e em Dulombi vão entregar uma mochila a cada uma das 80 crianças em idade escolar, contendo cadernos, lápis, canetas, lápis de cor, afias e borrachas. As escolas também serão dotadas de outros materiais. No dia 13 de fevereiro, já foi enviado um contentor com 11 toneladas de bens para distribuir em Dulombi e também na aldeia de Galomaro. A Líder Seguros, empresa trofnese, associou-se a esta causa, vendendo os seguros de acidentes pessoais e das carrinhas a preços reduzidos.

{fcomment}