A equipa do Trofense, que hoje assegurou a subida à Liga principal de futebol ao empatar 1-1 na recepção ao Gondomar, na 29ª jornada da Liga de Honra, foi recebida em euforia no centro do concelho da Trofa.

    Desde o estádio do clube, onde se realizou o jogo, seguindo pela Rua D. Pedro V, uma das artérias principais da cidade, o cenário é de festa, com o autocarro dos jogadores no centro da estrada e os passeios apinhados de adeptos de cachecol vermelho e azul ao peito.euforia-trofense.gif

    Num dos prédios do Parque de Nossa Senhora das Dores, onde há dez anos a população da Trofa festejou a elevação a concelho, pode ler-se "Trofense é campeão" – desejo adiado para a próxima jornada, uma vez que, para já, a euforia resume-se à subida de divisão.

    Mesmo ao lado, uma enorme faixa vermelha – mais comedida nos festejos – agradece: "Obrigado Trofense".

    Do cimo de um autocarro de dois andares, o defesa Valdomiro gritava "Trofense olé, Trofense olé", dando o repto aos restantes colegas que partilhavam a mesma euforia.

    Visivelmente satisfeito, Edú Souza, autor do golo que hoje ajudou a equipa da Trofa a alcançar a Liga principal, apenas soltava algumas frases emocionadas: "Só quero comemorar. Não tenho muitas explicações. Estou orgulhoso do meu golo. Deixe-me comemorar", pediu.

    Ao lado, o avançado Reguila, igualmente eufórico, mostrava-se mais interessado em dar entrevistas, afirmando que "o sonho tinha sido cumprido".

    "Isto é o concretizar de um sonho. Chegar à Liga é muito importante para a carreira de um jogador. O Trofense é um grande clube", garantiu Reguila, prometendo lutar, em Portimão, na próxima jornada, pela conquista do título na prova de Honra.

    Para Rui Borges, a subida de divisão é um "feito fantástico", sobretudo porque, lembra o médio, "este grupo de trabalho sofreu muito, mas esteve sempre unido".

    Perante ruas pintadas de vermelho e azul, bandeiras gigantes a colorir os prédios e ao som de gritos eufóricos de milhares de pessoas, Rui Borges dedicou esta conquista a todos os trofenses: "Sentir o apoio maciço de uma cidade inteira é único. Este é o maior marco da minha carreira".

    Do cimo do autocarro era ainda possível ver toda a equipa técnica e Direcção do Trofense. O jogador Ricardo Nascimento e o treinador António Conceição eram os mais solicitados pelos adeptos que prometiam não arredar pé enquanto não cumprimentassem os novos jogadores da Liga principal.