A ideia surgiu depois de se confrontar com a realidade e considerar que a solução estava mais que ultrapassada. Eduardo Pinheiro pôs mãos à obra e desenvolveu um produto inovador que substitui as cintas de pano vulgarmente usadas para segurar os idosos nas cadeiras de rodas. O projeto deu nas vistas e é finalista de concurso nacional.

Das 10.600 candidaturas que foram submetidas à 10.ª edição do Concurso Montepio Acredita Portugal, a do trofense Eduardo Pinheiro conquistou o júri, ao ponto de integrar o lote de 21 finalistas.

“Ecart” é o nome do projeto que apresentou e que se propõe dar mais qualidade de vida às pessoas com mobilidade reduzida. Como funcionário da Santa Casa da Misericórdia da Trofa, Eduardo Pinheiro confrontou-se muitas vezes com a realidade que considera ultrapassada. “São desconfortáveis e acabam por ser pouco agressivas em termos visuais. Eu via aquilo e achava que não dignificava em nada os utentes”, contou, em entrevista ao NT.

A título individual, decidiu avançar para o desenvolvimento de um produto que pudesse dar mais qualidade de vida aos utentes, num projeto que, estima, obrigará a um investimento “entre 25 mil a 30 mil euros”, até chegar ao mercado.

Mas o “Ecart” é muito mais que um substituto das cintas. Já com “componentes panteadas”, permite “acoplar acessórios, como os que são utilizados para a fisioterapia nos membros superiores, colocar um tablet, um livro ou o tabuleiro para os utentes almoçarem”.

O processo de aperfeiçoamento do produto foi permitido graças à Santa Casa da Misericórdia da Trofa e Mundos de Vida, que aceitaram testar o produto.

Eduardo Pinheiro espera lançar o produto “até ao final do ano”, mas antes, e por ser um dos finalistas do concurso Acredita Portugal, vai ter direito a um programa de aceleração, com duração de dois meses, através do qual terá acesso a masterclasses na área do empreendedorismo e inovação e a sessões de mentoria.

Os projetos vencedores serão conhecidos numa gala online de entrega de prémios, que se realizará em setembro.