Em 1993, o Trofense desceu à III Divisão nacional de futebol por faltar a um jogo com o Varzim – o fim parecia próximo, mas a "consciência e persistência" dos trofenses foi mais forte e agora "cumpre-se o sonho de uma vida".

    "Foi penoso andarmos na terceira, mas nunca desistimos de cumprir o sonho de uma vida. Poucos acreditavam que seria possível chegarmos um dia à Liga, mas a prova é que já o conseguimos, com todo o mérito", disse   Armando Martins, vice-presidente do clube.

    O Trofense assegurou domingo, matematicamente, a subida à Liga principal de futebol, apesar de ter empatado (1-1) em casa com o Gondomar, quando ainda falta uma ronda para acabar a Liga de Honra.

    Armando Martins recordou a "acesa" Assembleia Geral em que os sócios optaram por faltar a esse desafio com o Varzim, "por considerarem que estava a ser violada a verdade desportiva".

    "Após a agressão a um árbitro auxiliar, o Varzim foi castigado com um jogo de suspensão, que deveria ter sido realizado no Marco de Canavezes. O clube recorreu, as coisas foram-se arrastando – como era hábito – e, mais tarde, a Federação deu o dito por não dito e deixou-os jogar em casa, o que nos indignou", lembrou o dirigente.

    Com os dois clubes a tentar fugir à despromoção, o Trofense – a quem bastava um empate para se manter – considerou que estava a ser "fortemente lesado".

    Após violentas manifestações, que se arrastaram durante vários dias, os sócios decidiram, como posição de força, que o clube deveria dar falta de comparência ao jogo, perdendo assim o desafio e descendo de divisão.

    "Na altura defendia o mal menor, que era jogar, mas a maioria quis uma solução diferente. Acabámos por ser nós os penalizados. Foi um período muito complicado, mas os trofenses nunca baixaram os braços. O bairrismo desta gente e a sua persistência e determinação deram a resposta 15 anos depois", vincou Armando Martins.

    Na Trofa, futebol e política têm um percurso similar, pois uma luta de muitos anos para a criação do concelho – separando-se de Santo Tirso – deu frutos em 1998, quando o Estado e a Assembleia da República lhe reconheceram razão, tendo, a 19 de Novembro desse ano, sido criado o novo concelho.

    "Desde 1991 que o canal de Tv pirata TDM promovia debates públicos com figuras do concelho. A consumação do concelho foi algo inevitável, face às razões que nos assistiam. Há muito que havia esta consciência de identidade própria. 19 de Novembro de 1998 e 04 de Maio de 2008 ficarão para sempre como as grandes datas a celebrar na Trofa", disse Armando Martins.

    Actualmente, futebol e autarquia têm uma "relação perfeita", com esta a apoiar o clube, ao disponibilizar os autocarros que têm levado "sempre mais de 2.000 adeptos nos jogos fora".

    "A campanha 'A Trofa Abraça o Trofense' foi assimilada por todos, inclusivamente pela autarquia, que tem defendido os interesses das suas gentes. É uma parceria de sucesso, com benefícios óbvios para a afirmação de todo o concelho", concluiu.