A TrofaSénior Residências, em parceria com o Sindicato dos Bancários do Norte, promoveu, no sábado, uma festa de Carnaval.

A TrofaSénior Residências continua a apostar no envelhecimento ativo e, prova disso, foi a festa de carnaval, realizada no dia 18 de fevereiro, que contou com um almoço, dança e concurso de máscaras. 

Para Marta Paulino, diretora técnica da TrofaSénior, o convívio, organizado com o sindicato dos bancários do Norte, “é muito importante”, pois conseguem dinamizar o espaço, ao mesmo tempo que trazem “os bancários a esta casa”. “Esta casa precisa de convívios e de proporcionar o bem-estar e a alegria a quem não é tão jovem como nós, mas que viveu e faz parte da nossa história atual”, referiu. 

A iniciativa, considerada como “um pontapé de muitas parcerias” com o sindicato, foi “concretizada com muito êxito”. “A TrofaSénior não faz nada sozinha. Contamos com o nosso conjunto de amigos, que temos e vamos tendo, e conseguimos fazer esta maravilhosa festa com muita alegria e muito dinamismo, que é o espírito que queremos implementar nesta casa”, asseverou. 

Já José Silva, administrador da TrofaSénior no pelouro da cultura e eventos, aproveitou para agradecer às entidades que, de alguma forma, colaboraram na visita do Sindicato dos Bancários do Norte à Trofa. Especialmente à Câmara Municipal da Trofa, por ter disponibilizado a Polícia Municipal e por abrir as portas da Casa da Cultura, para que a pudessem visitar, ao Museu Batista Andrade e a Assis Serra Neves, vereador do pelouro da cultura, por os ter acompanhado nesta visita.

César Campos, diretor do sindicato dos bancários do norte, referiu que além de defenderem “os interesses e direitos dos trabalhadores”, o Sindicato desenvolve uma componente social para com os seus associados e  família. Por essa razão, ao longo do ano, promove vários eventos, com o intuito de “preservarem o património e a história viva do sindicato, que são os seus reformados”. “Esta iniciativa, em parceria com a TrofaSénior, tem o objetivo de proporcionar aos nossos sócios, nomeadamente aos mais idosos, convívio, momentos de alegria e de confraternização”, afirmou.

Isolina Montenegro, residente há seis meses, e Fernanda Bastos, há cinco meses nas residências, partilham a opinião de que esta atividade estava “muito agradável”.

Já Ilídio Machado, morador nas residências há três anos, ficou bastante agradado com esta festa “muito íntima”, tendo reencontrado colegas de profissão, que já não via há cerca de 30 anos. “Ambientes como estes são sempre bem-vindos e, felizmente, nesta casa são realizados com muita frequência”, realçou. 

No final do almoço, houve ainda um baile e um concurso de máscaras, onde os vencedores receberam prémios simbólicos.

{fcomment}