Carlos Martins e Simão Veloso são os nomes dos dois bombeiros que, sem hesitar, apesar da incerteza e do perigo, entraram na casa em chamas para salvar o José Miguel.

Movidos apenas pelo espírito de solidariedade estes dois homens do Corpo de Bombeiros Voluntários da Trofa não pensaram duas vezes quando lhes foi dito que dentro da casa em chamas poderia estar o jovem. “Consegui detetá-lo e, com a ajuda do meu colega, conseguimos tirá-lo a tempo, pois, além de as chamas já se encontrarem muito próximas dele, o jovem tinha várias queimaduras pelo corpo já que o fogo estaria por cima da cama onde estava o rapaz”, afirmou Simão Veloso. Este bombeiro sente-se orgulhoso por ter conseguido salvar mais uma vida e mostrava-se até um pouco comovido adiantando que “sem apoio de todos os bombeiros não teria sido possível salvar o jovem”. 

Meios envolvidos na operação

Os Bombeiros Voluntários da Trofa mobilizaram cinco viaturas de combate a incêndio, uma ambulância e 22 homens que participaram no salvamento e combate às chamas. Também envolvida na operação de socorro esteve uma viatura médica de emergência e a viatura de Suporte Imediato de Vida do Centro Hospitalar do Médio Ave. A Guarda Nacional Republicana da Trofa registou a ocorrência e accionou a equipa de investigação de incêndios da Polícia Judiciária do Porto. Já a Câmara Municipal da Trofa fez deslocar para o local uma máquina para ajudar na retirada dos resíduos, uma equipa para avaliação das estruturas das habitações afetadas e a equipa da ação social municipal, que acompanhou o processo do jovem.

Jovem continua internado

José Miguel continua internado no Hospital de S.João e em estado que inspira muitos cuidados. O rapaz sofreu queimaduras graves nas mãos, nos pés e na cara e terá sofrido complicações respiratórias chegando a
equacionar-se a possibilidade de ser transferido para uma outra unidade hospitalar, o que não chegou a acontecer. Quando tiver alta, o jovem deverá ser retirado à mãe e colocado numa instituição por ordem do Tribunal de
Santo Tirso, que estaria a acompanhar o caso desde 2006. A mãe do jovem incorre em crime de exposição ou abandono.

 {fcomment}