A formação está integrada no projeto do Orçamento Participativo Jovem da Trofa, contando com a participação de especialistas internacionais como Giovanni Allegretti e César Muñoz Jiménez.

“Educação para a participação cidadã” é o nome do curso que está a decorrer na Escola Secundária da Trofa. A sessão de formação é desenvolvida no âmbito do projeto Orçamento Participativo Jovem (OPJ) da Trofa, que já vai no segundo ano de implementação, a cargo da Câmara Municipal da Trofa que conta com o apoio do Centro de Formação (CFAE) da MaiaTrofa. 

O curso, com a duração de 25 horas, começou no dia 28 de março, e conta com o formador André Machado, bem como a participação de muitos especialistas da área, a nível mundial, como Giovanni Allegretti, Neiara de Morais, César Muñoz Jiménez, Nelson Manuel Santos, Maria Andréa Luz da Silva, Francisco Pedrosa Freitas, Maria Margareth Lins Rossal e Anne Karolynne Santos.

No primeiro dia, 28 de março, Giovanni Allegretti chamou a atenção dos presentes para a necessidade de se criarem, junto dos jovens, hábitos de participação e de intervenção cívica ativa. Já na segunda sessão, dia 29, César Muñoz Jiménez aproveitou a sua estadia na Trofa para elogiar o trabalho já efetuado na área do Orçamento Participativo, realçando que é urgente potenciar a cidadania juvenil para construir um país mais desenvolvido.

Esta ação de formação vai continuar nas próximas semanas, para aprofundar a discussão sobre a complementaridade entre democracia representativa e a democracia participativa. Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, e Teresa Fernandes, vereadora do pelouro da Educação, estiveram presentes na sessão de abertura desta ação de formação, dando assim conta da importância que este projeto tem para a autarquia.

Mais uma iniciativa com o cunho do OPJ da Trofa, que o executivo camarário criou em 2010 para os jovens dos dez aos 30 anos que vivam, estudem ou trabalhem no concelho. Este projeto surgiu para reforçar a participação dos cidadãos, “promovendo o envolvimento mais ativo dos jovens do concelho em processos participativos, contrariando as dinâmicas existentes, na sociedade portuguesa, de afastamento dos jovens das questões públicas, da vida da comunidade e da política ativa”. O OPJ é deliberativo, já que as propostas apresentadas e votadas pelos participantes integram o Plano e Orçamento da Câmara Municipal para o ano seguinte. Em causa estão 20 mil euros anuais dedicados a estes projetos, sendo que 12.500 euros são para trabalhos de âmbito geral e 7500 euros são destinados a temas apresentados pelas escolas.

Esta iniciativa da Câmara Municipal da Trofa tem o apoio do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, que permite assim, a fundamentação científica de toda a iniciativa. Já se encontram a decorrer as inscrições para a segunda edição do OPJ, que terminam no dia 20 de abril. Para mais informações poderá visitar as páginas de internet http://opjdatrofa.comhttp://www.facebook.com/opjovemtrofa.

 {fcomment}