Integrado na iniciativa “Trofa em Festa”, que decorreu na Rua Infante D. Henrique, o Concurso de Rabanadas contou com 28 concorrentes.

Grandes ou pequenas, com mel ou embebidas em vinho tinto, mais tradicionais ou excêntricas. Havia rabanadas para todos os gostos no concurso que a Associação Empresarial do Baixo Ave (AEBA) realizou em conjunto com mais uma iniciativa “Trofa em Festa”, na Rua Infante D. Henrique, em S. Martinho de Bougado.

Foram 28 os concorrentes que foram avaliados pelos dotes a confecionar um dos doces mais típicos da região na época natalícia. Hélia Fernandes, professora de Pastelaria e Panificação, foi um dos elementos do júri e ao NT confessou que, “inicialmente, as rabanadas tinham uma qualidade abaixo do esperado, mas depois quanto mais avançávamos a qualidade aumentava”. “Ao nível da apresentação, notava-se diferença, não era a simples rabanada, tinha molho, pinhão e nozes e isso refletiu-se no sabor”, explicou.

O odor, a textura e o sabor foram os critérios que ditaram a classificação. As rabanadas do Café Pims foram as que agradaram mais aos jurados. Jorge Peres, chef do Douro Azul (empresa de cruzeiros fluviais do rio Douro), também membro do júri, explicou que a rabanada vencedora “destacou-se pelo equilíbrio”. “Não estava demasiado seca nem demasiado mole e maçuda. O pequeno travor do limão estava lá, mas sem se sobrepor à canela e vice-versa. Estava muito bem frita por fora muito saborosa por dentro”, frisou, destacando que a decisão do júri “foi unânime”.

Maria de Lurdes Oliveira confecionou as rabanadas que ficaram em 2º lugar, enquanto o Café Sagitário levou o último lugar do pódio.

Segundo Manuel Pontes, presidente da AEBA, o concurso visava também destacar “a gastronomia da Trofa, que é um setor económico importante pela boa qualidade e bom nome exteriormente”.

A iniciativa “Trofa em Festa” teve mais uma edição, desta vez na Rua Infante D. Henrique e a tarde foi animada com um teatro musical, dança (Alvadance) e comédia. O Pai Natal também marcou presença para confraternizar com as crianças. Este é, segundo Manuel Pontes, “o contributo da AEBA para dinamizar o comércio tradicional”.

“Este projeto prevê a realização de ações de dinamização económica e social e de promoção da cidade, que tem como objetivos valorizar os aspetos diferenciadores, o potencial cultural, recreativo e desportivo da Trofa, fomentar a atratividade e a notoriedade da cidade e atrair visitantes e fixar residentes”, afirmou, acrescentando que “pretende-se sensibilizar os diferentes operadores económicos para a necessidade de contribuírem de forma eficaz para o desenvolvimento da imagem da cidade” e “só com o seu envolvimento, e da população, será possível criar dinâmicas de promoção e de atratividade da cidade da Trofa”.

Em paralelo, na praceta do Edifício Terraços do Infante, decorreu um mercado de Natal, dinamizado pelas lojas daquela zona.

A próxima edição do Trofa em Festa é já neste domingo, 22 de dezembro, entre as 15 e as 19 horas, com “um conjunto de animações” que vão decorrer nas ruas Abade Inácio Pimentel, Costa Ferreira, João Paulo II, Cesário Verde e Armindo Costa Azevedo