Centenário da República Portuguesa trouxe às ruas da Trofa dança, arruadas e recriações históricas. A Implantação da República está a ser comemorada um pouco por todo o país e na Trofa as iniciativas prolongam-se até Outubro.

“Viva a República! Abaixo a monarquia!”. Estas eram as palavras de ordem gritadas pelas ruas da freguesia de S. Martinho de Bougado durante a tarde de domingo, altura em que com uma arruada se assinalou o Centenário da Implantação da República.

Afonso Costa, Guerra Junqueiro, Heliodoro Salgado, Augusto Salgado e Angelina Vidalgo foram algumas das personagens que renasceram nas vozes de alguns trofenses.

Marta Marques não é trofense, mas depois desta tarde considera-se como tal. É estagiária na Casa da Cultura da Trofa e aceitou o desafio de interpretar Angelina Vidal “uma escritora jornalista, que teve um papel preponderante, em termos de divulgação dos ideais Republicanos, no início do século”, contou em entrevista ao NT/TrofaTv.

Imbuída do espírito Republicano Marta Marques defendeu os direitos das mulheres. “Nós devemos comemorar os direitos adquiridos, mas nunca devemos esquecer daquelas que, infelizmente, não alcançaram sequer os direitos que foram proclamados na 1ª República, por isso é essencial, celebrar e divulgar os direitos da mulher”, afirmou.

A causa da “igualdade de oportunidades” é defendida também pela edil trofense, Joana Lima, que enalteceu o “papel importante das mulheres na sociedade civil”. Joana Lima comparou os valores defendidos há cem anos pelas mulheres, com os valores de agora. “Um dos grandes destaques na 1ª República foi um conjunto de mulheres que tiveram um papel determinante, 100 anos volvidos, temos à frente do concelho da Trofa uma mulher”, frisou.

Apologistas destes direitos estiveram também os homens que interpretaram os papéis de dois dos grandes nomes que também lutaram pela Implantação da República. Os dois irmãos Salgado eram naturais de Santiago de Bougado e foi a partir da freguesia trofense que começaram as suas lutas.

Fernando Monteiro, presidente do Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado foi Augusto Salgado durante a tarde de domingo e recordou a importância do número 13 colocado nas lapelas de todos os figurantes: “13 senhoras foram presas por reivindicar os direitos delas”.

Augusto Salgado “era deputado e foi sempre um homem da nova democracia”, mas que não impediu que “castigassem muita gente”. “Foi muita gente para as prisões, ficamos sem liberdade jornalística, portanto ficamos um bocadinho amordaçados digamos assim, sem liberdade para fazermos alguma coisa”, acrescentou Fernando Monteiro.

Luís Elias, presidente do Rancho das Lavradeiras da Trofa interpretou a personagem de Heliodoro Salgado e nem o bigode que ameaçava cair o impediu de difundir os ideais Republicanos. “Heliodoro Salgado, era um homem de convicções, era um jornalista, um homem que escrevia e que era fundamentalmente contra o clérigo e contra a igreja e contra os privilégios que a igreja tinha”, explicou.

Na arruada participaram os vários ranchos do concelho, os Meninos Cantores do Município da Trofa e os funcionários da Casa da Cultura da Trofa. A GNR também esteve representada com um mini-picadeiro com dois cavalos que fizeram as delícias dos mais pequenos. O arraial terminou com um típico Baile da época.

 

Comemorações vão continuar

A Implantação da República está a ser comemorada um pouco por todo o país e na Trofa as iniciativas para assinalar a data continuam a 8 de Junho com o espectáculo “O Fado e a República”, pelas 21.30 horas, no Parque Nossa Senhora das Dores. Este espectáculo de fados que nasceu de uma ideia de Luís Sarmento será produzido por Virgílio Luyis Silva, e contará com a participação da fadista Ana Marta e dos músicos Luís Ribeiro e Carlos Macieira.

No dia 13 de Junho, decorre o Passeio das Bicicletas Antigas. A iniciativa tem início às 10 horas, no Parque Nossa Senhora das Dores, e os atletas terão de percorrer 15 quilómetros, recebendo um prémio o ciclista com melhor traje alusivo à época da Implantação da República. As inscrições realizam-se até dia 9 de Junho no portal www.cicloturismodatrofa.com. No decorrer do passeio haverá uma feira com material para bicicletas antigas, para que os participantes ou os interessados possam adquirir peças raras.

Em seguida, decorre, na Casa da Cultura da Trofa, o Festival de Folclore Infantil. A organização do evento, que tem início às 17 horas, fica a cargo do Rancho Infantil da Escola de Cidai.