A Associação Recreativa de Paradela conseguiu atrair à prova a contar para a Taça de Portugal de BTT, vertente Down-Hill, 342 atletas estabelecendo assim um record de participação. Em jeito de balanço José Costa da AR Paradela fez um balanço muito positivo da prova "quer em termos competitivos quer em termos de organização", assegurou.

Mais de 340 atletas de Down-Hill marcaram presença na 2ª prova da Taça de Portugal em BTT, que se realizou no monte de S. Gens, nas freguesias de Santiago de Bougado e Alvarelhos e que marcou o terceiro ano consecutivo de iniciativas do género organizadas na Trofa.

Apesar das dificuldades de divulgação do evento desportivo, que a Associação Recreativa de Paradela teve que  atravessar, devido à proibição da EDP de Santo Tirso de se colocarem as lonas de promoção nos postes de electricidade em lugares estratégicos, muitos foram os curiosos que quiseram assistir a uma das vertentes com mais adrenalina da modalidade do BTT.

Foram 60 equipas, de norte a sul do país, que se fizeram representar na prova, contribuindo para a conquista de um novo record de participantes, 342 ao todo, mais 22 que no ano passado. Entre portugueses e estrangeiros, fundamentalmente espanhóis, todos os atletas queriam ter a melhor prestação, pelo facto desta prova ser pontuável para o ranking da União Ciclista Internacional e para poderem somar pontos lhes permite competir em provas da Taça do Mundo.

No que respeita aos resultados obtidos pelos atletas trofenses da Associação Recreativa de Paradela, o destaque vai para José Costa, que alcançou o quarto lugar na categoria de Masters 40 e que mostrou estar a altura de outros grandes nomes do BTT nacional.

Em declarações ao NT o atleta assegurou, que em termos organizativos "tudo correu pelo melhor" e prova disso "são as declarações proferidas pelo comissário da União Ciclista Internacional (UCI), em que dá os parabéns à Trofa". Quanto à pista "o monte de S. Gens não nos dá as condições perfeitas que uma pista de Down-Hill deve ter", mas dentro das limitações que ela impõe, "estava melhor que em anos anteriores".

José Costa frisou ainda o facto da Trofa ter atingido um novo record de participantes, "o que é motivo de orgulho para a associação".Já em termos de prestação da equipa, "as coisas correram mais ou menos aquilo que estava previsto". Em juniores masculinos Marco Oliveira foi décimo quarto classificado, Pedro Gomes ficou atrás duas posições, Luís Pimenta acabou em vigésimo terceiro e Tiago Gomes foi vigésimo oitavo. Na categoria de elites masculinos Paulo Santos terminou a sua prova em quinquagésimo oitavo lugar e Vitor Carneiro surgiu em sexagésimo segundo. Em Masters 40 José Costa alcançou um honroso quarto lugar e David Costa foi nono classificado.

Também representante da organização desta prova da Taça de Portugal, Agostinho Carvalho afirmou que o Down-Hilll "cada vez mais tem ganho adeptos em todo o país", salientando que "agora o que mais se vê são os jovens a comprarem bicicletas e a optarem por praticar BTT".

A participação de atletas estrangeiros, para o responsável, também é algo a ter em conta: "eles ajudam a aumentar a competição desportiva, o que nos leva a obter melhores resultados".

Agostinho Carvalho salientou ainda que "não houve acidentes graves" e que por isso o balanço só pode ser "positivo".