De 10 a 17 de maio, a Casa da Cultura da Trofa foi palco do Encontro Lusófono de Literatura Infantojuvenil e da Feira do Livro, que encerraram, este sábado, com um tributo a Vinicius de Moraes.

Depois de uma semana inteiramente dedicada à produção artística em português, Lilian Raquel e Cláudio César prestaram um tributo a Vinicius de Moraes através de um concerto onde recordaram temas como “Eu sei que vou-te amar”, “Garota de Ipanema” e “Insensatez” que Vinicius criou ao lado de Tom Jobim. Foi desta forma que a Câmara Municipal da Trofa encerrou, na noite de sábado, 17 de maio, a 9ª edição do Encontro Lusófono de Literatura Infantojuvenil e a 14ª Feira do Livro da Trofa.

Ao longo de uma semana, o certame recebeu autores como Ana Maria Magalhães, Benedita Stingl, Joana Cavalcanti, Manuela Castro Neves, Mário João Alves, Olinda Beja, Roberto Chichorro, Sara Monteiro e Sofia Pinto da Silva oriundos de Portugal, Brasil, S. Tomé e Príncipe, Moçambique e Cabo Verde. Os autores marcaram presença em encontros com crianças e jovens da Trofa. Já a animação esteve a cargo do Alvacenter – Academia de Dança Alvadance, da Associação de Pais e Encarregados de Educação da EB1/JI de Fonteleite, do Agrupamento de Escolas de Coronado e Covelas, das Organizações Não Governamentais para o Desenvolvimento, Passo Positivo e Tabanca Pequena, da EB1/JI do Paranho e da EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques do Agrupamento de Escolas da Trofa, da Universidade Sénior do Rotary Club da Trofa e da Biblioteca da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa.

Destaque também para as exposições patentes na Casa da Cultura, que contaram com a participação de alunos e professores da Escola Secundária da Trofa e da EB2/3 Prof. Napoleão Sousa Marques, do mestre moçambicano Roberto Chichorro e de Sofia Pinto da Silva, autores, respetivamente, das mostras “Um Conto Vários Olhares”, “Karingana de Muitas Luas” e “A menina que queria consertar corações”, expostas até ao fim do mês de maio. Em paralelo, houve ainda exposições, ateliers, oficinas, workshops, sessões de animação de leitura, concertos, teatro e dança.

O vereador do pelouro da Cultura da autarquia, Renato Pinto Ribeiro, declarou que o balanço “é positivo” e “satisfatório”, uma vez que passaram pelo recinto “mais de três mil pessoas”, o que “engrandece e permite que continuem a apostar neste Encontro Lusófono e Feira do Livro”. “Houve um encontro de várias artes, que é o que queremos e vamos continuar a proporcionar e a potenciar no nosso concelho, de forma a que também nos permita projetar a Trofa quer em termos nacionais, quer mesmo em termos internacionais”, adiantou.

Devido à pouca adesão a algumas atividades deste certame, Renato Pinto Ribeiro afirmou que “no futuro vai haver novidades a introduzir no Encontro Lusófono”, com o objetivo de “aproximar as pessoas a este encontro”. “Houve dois dias que, em termos de assistência, não foi a que era expectável, mas isso é tudo devido a outros acontecimentos que decorreram ao mesmo tempo e que dividiu um pouco as pessoas”, denotou.

Entregues 265 contos para Concurso Lusófono
No dia 2 de maio terminou o prazo para a entrega dos contos da edição 2014 do Concurso Lusófono da Trofa – Conto Infantil – Prémio Matilde Rosa Araújo. O vereador contou que já receberam “265 contos”, mas espera ainda “receber mais alguns” pelo Instituto Camões e dos “países da lusofonia”. “Vamos ter um trabalho de seleção que não vai ser fácil e vai exigir bastante do júri. É algo que vai ser trabalhoso, mas, ao mesmo tempo satisfaz-nos, porque continuamos cada vez mais a receber contos dos diversos países”, concluiu.

Trofense lança livro de poesia
Durante o Encontro Lusófono, houve a sessão de lançamento do livro de poesia “Pontas Soltas”, na Casa da Cultura da Trofa. Constituído por “cerca de 50 poemas”, a obra é da autoria de Luís Ferreira Gomes, residente no lugar de Cidai, em Santiago de Bougado.

Segundo o autor, o livro de poesia “é a junção de alguns poemas” que escreveu “ao longo do tempo” e surgiu através de “um concurso” lançado pela editora “em 2013”. Para participar no concurso, os inscritos tinham que “enviar entre 30 a 50 poemas” e depois a organização ia “selecionar as pessoas que achava que tinham qualidade para editar” um livro. Os poemas de Luís Ferreira Gomes foram escolhidos.

“Por enquanto”, o livro de poesia “só está à venda online”, uma vez que ainda “não foram feitas as apresentações”, tendo a da Trofa sido a primeira.

Luís Ferreira Gomes é secretário da ACRESCI (Associação Cultural Recreativa e Social de Cidai) e fez parte do elenco da peça de teatro “O Rei Leão”, levada à cena pela coletividade.