A partir de 1 de junho, a corporação dos Bombeiros Voluntários da Trofa passa a ter uma equipa ECIN e uma ELAC em permanência 24 horas por dia para fazer face aos incêndios florestais.

Com o verão à porta e o início Fase Bravo de combate a incêndios florestais, os Bombeiros Voluntários da Trofa vão ter, a partir de 1 de junho, uma ECIN – Equipa de Combate a Incêndios, composta por cinco elementos, que está pronta a intervir em caso de necessidade, assim como uma Equipa de Intervenção Permanente (EIP) e uma Equipa Logística de Apoio ao Combate (ELAC).

De acordo com Filipe Coutinho, comandante em funções, além de todo o dispositivo assegurado durante todo o ano, o corpo de bombeiros vai ser reforçado 24 horas por dia, por elementos voluntários que passarão a integrar a ECIN, assim como uma ELAC (composta por uma viatura de abastecimento e dois elementos).

O comandante em exercício garante que os Bombeiros da Trofa têm todos os meios de que precisam para fazer face a situações de emergência, desvalorizando os rumores da falta de meios: “Só em situação de simultaneidade das ocorrências, mas também temos o inverso, temos socorrido as corporações vizinhas”. “Não há falta de meios na Trofa e esta é das corporações que está mais bem equipada a nível de viaturas e ao nível de operacionais e de recursos humanos”, garantiu.

O comandante interino garante que “os bombeiros têm tentado juntar os conhecimentos dos novos com a experiência dos mais antigos e tentar com esse trabalho juntar o útil ao agradável, fazendo com que os jovens possam ensinar aos mais velhos e os mais velhos transmitam a sua experiência aos mais novos. Esta será a mistura ideal para termos os bombeiros ideais. A população da Trofa pode estar perfeitamente tranquila. Com estes homens à frente desta corporação, não há qualquer preocupação a ter”, concluiu.