Milhares de pessoas rumaram ao S. Gonçalo no passado fim-de-semana, porque no terceiro domingo de Janeiro todos os caminhos vão dar a Covelas. E se há mais de cem anos os romeiros subiam o Monte a pé para prestar culto ao santo casamenteiro, agora todos os meios de transporte servem para lá chegar.

A cavalo, a pé, de coche, carro, moto-quatro ou bicicleta, tudo valia para chegar ao S. Gonçalo. covelas.jpg

Das iniciativas mais originais o NT aponta os cerca de 200 cavaleiros do Centro Hípico da Trofa e as largas dezenas de ciclistas que se deslocaram de Vila Nova de Famalicão para comer os rojões.

Chegados a Covelas tempo para participar na missa. Depois da longa caminhada recarregaram baterias numa paragem obrigatória nas tasquinhas da freguesia de Covelas para beber um copo de vinho, comer um rojão no pão e umas papas de sarrabulho.

Na volta, trouxeram os doces e os figos, já tradicionalmente conhecidos e armaram a tenda no Monte de Paradela para passar o resto da tarde.