Muitos cartões, muitas expulsões e as mais diversificadas faltas foram o resultado de uma arbitragem muito inexperiente que não soube controlar desde o início as actuações das formações do S.Romão e do Inter de Milheirós. Um penalty marcado por Sérgio ao oitavo minuto do tempo de compensação faz com que o S.Romão perca os três pontos a escassos segundos do apito final e saia da segunda jornada com um empate a uma bola com o Inter de Milheirós.

O jogo entre o Inter de Milheirós e o F.C.S.Romão, a contar para a segunda jornada do Campeonato da II Divisão Distrital Série 1, decorreu no passado Domingo no Campo Municipal do Milheirós.

O jogo começou calmo, com pouca pressão por parte de ambas as equipas. Por volta dos doze minutos da partida o guardião da equipa da casa deixa a bola escorregar-lhe das mãos e Silva aproveita esta falha para a empurrar para lá da linha de baliza do Inter de Milheirós e fazer assim o 0-1. sromao_2.jpg

O S.Romão a ganhar por uma bola tentou segurar o resultado e o jogo continuou a decorrer relativamente calmo, com poucas oportunidades de finalização.

Ao minuto trinta e oito a equipa da casa vê a sua formação reduzida a dez jogadores na sequência da atribuição de cartão vermelho a Ferráz.

A desigualdade numérica trouxe mais vigor à partida, já que com um jogador a menos o Inter de Milheirós viu-se forçado a aumentar o seu ritmo de jogo.

O início da segunda parte vai trazer algumas situações de perigo para ambas as redes e muitos momentos de agitação. Passados poucos minutos do apito da segunda metade, uma falta cometida por Moutinho, na sua área, dá direito à marcação de um livre por parte do Inter de Milheirós e que passa muito perto da trave da baliza defendida por Ricardo.

O ritmo de jogo continua a aumentar progressivamente e o Inter de Milheirós, não se deixando abater pela desvantagem numérica, tenta chegar cada vez mais à baliza do seu adversário e finalizar, o que não ia acontecendo já que Ricardo conseguia salvar as redes por si defendidas.

Os últimos vinte minutos da partida vão ser extremamente negativos para o S.Romão, já que neste intervalo de tempo vê a sua formação reduzida a cada vez menos jogadores: primeiro é Juvenal que vê um cartão vermelho. Passados cerca de dez minutos é Carvalho quem vai para o balneário e pouco tempo depois é a vez de Hélder P. abandonar o campo.

Ainda a ganhar por uma bola e com apenas oito jogadores o S.Romão anseia pelo apito final, que demorou a surgir. Decorridos oito minutos para lá dos noventa minutos, é assinalada uma grande penalidade na área do S.Romão e é Sérgio quem o concretiza e faz passar o esférico para dentro da baliza do S.Romão, surgindo logo de seguida o apito final.

Em conversa com Jaime Marques, o treinador da equipa da casa afirmou que "foi um jogo mais físico do que jogado. Os árbitros não foram grande ajuda e até pode-se dizer que foram estes que o complicaram porque estávamos a ter um jogo calmo. Nestes jogos deveria haver a preocupação de nomearem um trio de arbitragem com mais experiência, pois creio que era a primeira vez que dois deles estavam a arbitrar, o que não é o mais credível. Há camadas mais jovens onde estes árbitros podem ganhar alguma experiência e só depois passarem a jogos mais importantes e mais complexos como os seniores de uma distrital. Apesar de o S.Romão não ser da Maia este é quase um dérbie e por isso era um jogo que exigia mais "traquejo" por parte da arbitragem".

"Assistimos a expulsões e faltas que não fazem sentido, tanto para nós como para o S.Romão e os árbitros tem que saber discernir o que é violência do que é jogar a bola, porque depois o jogo entra num ritmo que é muito difícil segurar. A equipa de arbitragem tem que se impor logo de início e não foi isso que assistimos e como é óbvio depois é muito complicado controlar e a única forma de tentar remediar é começar a distribuir cartões", finalizou em jeito de sugestão o técnico da casa.

O treinador da formação do S.Romão, José Carvalho, mostrou algum descontentamento com a forma como o jogo decorreu: "Eu já ando nisto há muitos anos e há momentos em que não adianta o esforço. Perante as condições que tivemos ao nível da arbitragem é difícil conseguir um bom desempenho. Pela minha experiência eu não tinha coragem de dar tanto tempo de desconto e mesmo que o desse deixava o jogo seguir de bola corrida e não marcava o penalty com a hora tão avançada, já passados oito minutos de tempo suplementar, mas perante isto só posso dar os parabéns aos meus atletas".

No próximo Domingo, dia 7, o S.Romão irá receber a formação do Vila Chã.