Recentemente, o Primeiro-ministro José Sócrates fez, em Leiria, um balanço dos dois anos em que está à frente do Governo e para espanto de todos, ou talvez não, no seu discurso de aniversário, claudicou e teve sérias dificuldades em apontar grandes medidas estruturantes e importantes, implementadas e realizadas pelo seu governo.

 É de crer que o Partido Socialista e o seu Governo gostasse de apresentar a realização de muitas promessas eleitorais, que fizeram aquando da campanha eleitoral que os levou ao poder, como o desenvolvimento do país, mais justiça social, melhor apoio na velhice, mais e melhor educação, justiça e saúde, o abaixamento de impostos ou a criação de 150.000 empregos, mas para isso era preciso ter tido outras políticas e outras capacidades que o Governo socialista já demonstrou, nestes dois anos de governação, não as ter.

     Em dois anos o que este Governo demonstrou foi uma capacidade de "domesticar" uma comunicação social que num passado bem recente era tão "brava" para com os governos anteriores e agora se mostra tão dócil. A par de realizações menores, o "pacificar" e controlar a comunicação social, foi talvez a obra maior do Governo socialista, ao longo destes dois anos. Nisto, de controlar a comunicação social, tem muito a ensinar e pode mostrar obra!!!

     No segundo aniversário de governação, esperava-se que o secretário-geral do PS, e Primeiro-ministro, indicasse alguma obra de real interesse para o bem-estar dos portugueses, ou mesmo alguma realização estruturante de âmbito económico, financeiro, ambiental ou mesmo social; mas não, o Primeiro-ministro socialista no balanço que fez de dois anos de governo disse que «para aqueles que acusam o Partido Socialista de não ter políticas de esquerda, José Sócrates deu o exemplo de três leis: a Lei da Procriação Medicamente Assistida, a Lei da Paridade e a Lei da Interrupção Voluntária da Gravidez.

     José Sócrates que gosta de "encher a boca" com frase de esquerda, mas na prática não consegue enfrentar os graves problemas sociais, bem pelo contrário, tem agravado o fosso que existe entre os ricos, que estão cada vez mais ricos e os pobres que estão cada vez mais pobres. É este o socialismo que o PS pratica no poder, é esta a ideologia e Sócrates.

     A declaração surpreendente de José Sócrates, tem como insólito o facto de estas três leis que apontou como grandes realizações do seu Governo, nada terem a ver com as necessidades mais prementes do Povo Português, e muito menos com as reais necessidades do País que se atrasa cada vez mais em relação à Europa em termos económicos e também sociais.

     Portugal que atravessa um período de desafios constantes e extraordinariamente exigentes, em que a intervenção governamental correcta, atempada e eficaz é uma necessidade, o Governo tem tido uma política económica e financeira desastrosa que está a levar o País para uma situação de cada vez mais desemprego e ao fecho de mais empresas. No seu segundo aniversário, o governo apontou como realização dos seus dois anos de governação, três leis relacionadas com o sexo.

     Foi esta, ideologicamente, a prioridade do governo socialista comandado por José Sócrates que não consegue implementar medidas eficazes que façam modificar a situação económica, financeira, social ou ambiental. Fala muito em políticas de esquerda, mas em concreto só tem as políticas relacionadas com o sexo para apresentar aos portugueses. É esta a sua ideologia! Foi esta a sua obra!

           moreira.da.silva@sapo.pt 

     José Maria Moreira da Silva