A Trofa, foi mais uma vez, e pelo terceiro ano consecutivo, a Capital da Lusofonia, levando a cabo mais um Encontro Lusófono de Literatura Infanto-Juvenil, que decorreu durante uma semana na Casa da Cultura da Trofa

Centenas de livros "encheram" durante uma semana a Casa da Cultura da Trofa, onde decorreu o terceiro encontro Lusófono de Literatura Infanto-juvenil. O objectivo deste encontro foi segundo Bernardino Vasconcelos, Livros, música e exposições animaram a Casa da Culturapresidente da autarquia, "não só dar ênfase à literatura infanto-juvenil, como também dar a conhecer outras artes, estreitando os laços culturais entre os países que partilham a mesma língua que nós, o português".

No decorrer desta iniciativa, considerada precursora em Portugal, estiveram presentes na Casa da Cultura da Trofa, vários seguidores da arte em geral, bem como a Delegada Regional da Cultura, Helena Gil, que parabenizou os responsáveis autárquicos da Trofa pelo "empenho em fazer da cultura um factor estratégico de desenvolvimento."

Assim, a representar a música, estiveram presentes os Meninos Cantores do Município da Trofa, que ao longo da noite interpretaram várias obras, sob a direcção de António Serra.

Na Literatura, para além da abertura da VII Feira do Livro,onde estiveram presentes os autores do livro "Pirilampo e os Deveres da Escola", que já tinha sido galardoado com o prémio do V Concurso Literário da Trofa, João Alberto Roque como escritor e Helena Zália como ilustradora, que se mostraram muito satisfeitos com as iniciativas levadas a cabo pela Câmara em prol da cultura. "É um livro de afectos, tanto entre seres humanos, como entre seres humanos e pessoas", afirmou Helena Zália, não escondendo o seu agrado por ter contribuído para a ilustração do livro. Já para João Roque esta foi uma oportunidade que permitiu a realização de um sonho antigo, esperando ser este livro, o primeiro de muitos outros.

Mais tarde, foi também visitada a exposição da guineense Manuela Jardim, que marcou presença na mostra com as suas obras divulgando, a sua inspiração nos panos dos mercados, já existentes no tempo dos descobrimentos. Teve também um especial destaque, a exposição de Graça Morais com poemas de Sophia de Mello Breyner, com desenhos em papel pautado a ilustrar os poemas da grande poetisa.

Na abertura do encontro Lusófono foram entregues os prémios de melhor Leitor 2006, para aqueles que nas categorias infantil, juvenil e adulto, requisitaram mais livros ao longo do ano e um prémio para o leitor numero mil.

Bernardino Vasconcelos mostrou-se bastante satisfeito, com o crescente sucesso desta iniciativa que a "cada ano que passa justifica a sua existência" e prometeu continuar a apoiar a cultura, possibilitando uma maior "aculturação dos nossos jovens e das nossas gentes", concluiu o autarca.

O encontro lusófono encerrou dia 6 de Maio (Domingo) com um grande concerto dos portuenses Vozes da Rádio, um quinteto vocal formado em 1991 que 16 anos depois da sua criação volta a visitar os seus grandes êxitos.