As promessas foram cumpridas. Após ter falhado em duas datas sucessivas, a trefilaria Socitrel, sediada em S. Romão do Coronado, pagou os meses de março e abril, que devia a cerca de 150 trabalhadores. A empresa terá ainda liquidado a dívida ao Fisco.

O diretor geral da Socitrel, Francisco Sampaio, afirmou, ao JN, que a fábrica vai “recomeçar muito rapidamente”, após a paragem de produção, desde setembro de 2014, por falta de liquidez para adquirir matéria-prima.

A empresa, que é a única fábrica a produzir arame zincado em Portugal, tem um passivo de 80 milhões de euros.

Recorde-se que, a 30 de abril, os trabalhadores da Socitrel reuniram-se em frente à empresa, para reivindicar salários em atraso e exigir explicações sobre o futuro dos postos de trabalho, uma vez que tinham dois meses de salários em atraso e estavam sem produzir desde o verão do ano passado.

A Socitrel, Sociedade Industrial de Trefilaria, S.A., foi fundada em 1971 e situa-se no lugar da Estação, em S. Romão do Coronado. Com cerca de 150 trabalhadores, dedica-se ao fabrico e comercialização de arames de aço e malhas eletrossoldadas, para aplicação na indústria, agricultura e construção civil.