O projeto de requalificação do Museu Municipal Abade Pedrosa e do Museu Internacional de Escultura Contemporânea estão a cargo dos arquitetos Siza Vieira e Souto Moura. Estes dois arquitetos portugueses já venceram prémio “PRITZKER” (Prémio Nobel da Arquitetura)

Siza Vieira e Souto Moura vão trabalhar em conjunto em prol da requalificação do Museu Municipal Abade Pedrosa e do Museu Internacional de Escultura Contemporânea. A Câmara Municipal de Santo Tirso pretende com este projeto reabilitar e remodelar o Museu Municipal Abade Pedrosa e simultaneamente criar um novo “edifício” que servirá como “área de acolhimento e receção partilhada com o Museu Internacional de Escultura Contemporânea” formando assim um “espaço comum entendido como um verdadeiro Átrio de receção ao visitante”. Com a junção dos dois museus passará a existir apenas um único espaço o que permitirá à autarquia tirsense racionalizar e partilhar “espaços, serviços e recursos (materiais e humanos) ”.

Segundo fonte da autarquia o “novo” Museu Internacional de Escultura Contemporânea terá as funções de receber e acolher os visitantes, disponibilizar “serviços e conteúdos específicos relativos às peças e autores representados”, assegurar “a dinâmica e vitalidade do museu, promovendo ações relacionadas com um serviço educativo, seminários e exposições temporárias relevantes para temática”, bem como promover ações junto de instituições congéneres e dos circuitos turísticos nacionais e internacionais”.

Esta é uma ação que está inserida no PPI (Plano Plurianual de Investimento) da Câmara Municipal

de Santo Tirso e que está enquadrada no projeto PRU (Parcerias para a Regeneração Urbana) das Margens do Ave. Este projeto conta com o “acompanhamento e apoio institucional” da Fundação Serralves, da Fundação Cidade de Guimarães 2012, da ADDICT (Agência para o Desenvolvimento das Industrias Criativas), da AMP (Área metropolitana do Porto), da Rede Portuguesa de Museus e da Direção Regional de Cultura do Norte.

Segundo fonte da autarquia, esta obra passará a fazer parte de uma “referência obrigatória da arquitetura portuguesa e mundial” uma vez que vai ser requalificada por dois arquitetos portugueses que já venceram o prémio “PRITZKER” (Prémio Nobel da Arquitetura) e o Prémio Secil de Arquitetura (o maior galardão português na área).

{fcomment}