“Vamos ter muitos dias preenchidos e muita animação”, destacou o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, na apresentação pública do programa integral de “A Poesia está na Rua” que decorreu na passada sexta-feira, dia 5 de Março. A sétima edição do certame acontece um pouco por todo o concelho entre os dias 20 de Março e 23 de Abril. Entre o vasto e preenchido programa, destacam-se acções como o “humor ao domicílio”, uma cerimónia de homenagem a Rosa Alice Branco, a oficina do humor, um concurso de poesia sob o tema “correr contra o tempo para dizer…rindo” e uma “conversa” a propósito de Raul Solnado com a presença de Leonor Xavier, biógrafa e ex-mulher. 

Paralelamente a estas acções, muitas outras vão trazer a Santo Tirso a poesia, este ano aliada ao humor sob o tema “Humor com humor se paga”, em perfeita sintonia. Espectáculos de rua, feiras, exposições, saraus, sessões de poesia e um “peddy paper” poético prometem preencher o programa cultural do concelho ao longo de mais de um mês.  

Como referiu o autarca tirsense, “a poesia é algo que está intrinsecamente ligado a todos nós, na nossa história e na nossa cultura”. É neste sentido que a Câmara Municipal de Santo Tirso tem vindo a organizar, anualmente, esta iniciativa que valoriza a importante vertente histórica e cultural da poesia e da literatura. 

Na apresentação do programa integral de “A Poesia está na Rua” também a Vereadora da Cultura, Júlia Moinhos, explicou que o “humor nos faz ver as coisas de forma mais colorida”, principalmente “em época em que tanto se fala de crise”. “O programa promete animar o concelho e enganar a crise”, assegura.  

Alberto Serra, o comissário da iniciativa, também marcou a apresentação do programa desta sétima edição de “a poesia está na rua” lendo um poema de Alberto Gil (“Noite de Núpcias”). Quem também animou a cerimónia foi a Banda Plástica de Barcelos que, com a sua indumentária original e um reportório muito popular, encheu o átrio da Câmara Municipal de sons e muito humor. 

Em 2004, a Câmara Municipal de Santo Tirso arrancou com a iniciativa procurando colocar o Concelho de Santo Tirso no roteiro dos grandes eventos ligados à poesia e à literatura portuguesas. O evento, com características algo inéditas, tinha por objectivo dar uma expressão festiva à palavra poesia, fazendo-a comungar – durante cerca de um mês – da vida comunitária do concelho, homenageando, em cada edição, um poeta português 

Depois de “A Poesia Está na Rua” (2004, com homenagem ao poeta António Ramos Rosa), de “A Poesia e o Surrealismo” (2005, com homenagem ao poeta Artur do Cruzeiro Seixas), de “A Poesia faz bem à Saúde” (2006, com homenagem ao poeta Manuel António Pina), de “A Fé na Poesia” (2007, com homenagem ao poeta José Tolentino de Mendonça), de “Ofício de Poeta” (2008, com homenagem ao poeta António Osório), de “Pano Pramangas” (2009, com a homenagem ao poeta A. M. Pires Cabral), segue-se este ano (2010) a edição “Humor com Humor se Paga”, com a homenagem à poeta Rosa Alice Branco. 

A sorrir ou a ranger os dentes, o humor destrói as visões convencionais do mundo. É ele que confere ao ser humano a sua dignidade autêntica. Sob o lema “humor com humor se paga”, o programa deste ano de “A Poesia está na rua” alia as diversas formas de expressão poética a um conjunto de iniciativas que pretende fazer do humor “uma revolta superior do espírito” contra os tempos de crise em que vivemos. 

Leonor Xavier (biógrafa e ex-mulher de Raul Solnado), Nuno Artur Silva (produções fictícias) e os poetas Rosa Alice Branco (a homenageada deste ano) e Daniel Maia-Pinto Rodrigues são alguns dos nomes que integram o programa desta sétima edição de “A Poesia está na Rua”, iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Santo Tirso.