"O protocolo que hoje assinamos é um pacto de futuro com muito significado", esclareceu Castro Fernandes, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, no acto formal realizado hoje no Salão Nobre da Câmara Municipal que formalizou a adesão do Município de Santo Tirso à Fundação de Serralves como membro-fundador. Santo Tirso tornou-se assim, o terceiro Município do país, para além do Porto e de Matosinhos, a adquirir este estatuto. Para além dos dois presidentes das duas entidades, Castro Fernandes e António Gomes de Pinho, marcou presença no evento a administradora e eurodeputada Elisa Ferreira. 

 "Temos pela frente um caminho a percorrer que não será fácil mas será aliciante e poderá constituir um exemplo para outros municípios e até para o país. Um exemplo de confiança para vencer dificuldades do passado e encarar o futuro com confiança. A cultura (e principalmente a cultura contemporânea) pode dar, nesse sentido, um importante contributo", afirmou António Gomes de Pinho, presidente da Fundação de Serralves. O presidente da Fundação certificou ainda que "o município de Santo Tirso é um exemplo de pujança e grande dinamismo cultural onde há grandes eventos e grande criadores". 

Esta cooperação entre as duas instituições assenta em alguns princípios. Prevê-se a criação de uma equipa técnica, responsável pelo levantamento das áreas possíveis de cooperação, bem como a proposta de projectos concretos a incluir em planos anuais, que serão sujeitos a aprovação de ambas as partes. 

Neste protocolo "estão previstas formas de colaboração que abrangem áreas desde a formação pedagógica, à formação de técnicos do município e de entidades locais, à realização de exposições e ao apoio técnico no desenvolvimento dos principais projectos culturais municipais. Mas mais do que isso, esta colaboração traduz-se na criação de uma equipe que envolvendo técnicos de ambas as partes irá estudar e seleccionar projectos concretos para serem realizados conjuntamente", explicou Castro Fernandes.  

Elisa Ferreira, administradora da Fundação de Serralves e munícipe de Santo Tirso, explicou que "Serralves se está a lançar no projecto de fazer associações locais". Assim, realça a eurodeputada, "isto é muito importante para a região. Só posso elogiar o presidente da Câmara pela coragem que teve em sair da rotina e fazer abrir as ideias e o pensamento das pessoas desta região".  

Enquanto presidente da Fundação de Serralves, António Gomes de Pinho explicou que a Fundação tem vindo a desenvolver uma política de maior abertura à sociedade e tentando criar redes de colaboração com instituições públicas, privadas e municípios". "Da selecção dos municípios para a escolha de Santo Tirso pesaram alguns factores como o empenhamento pessoal do Sr. Presidente da Câmara com a política cultural que tem vindo a ser desenvolvida neste município", defendeu António Gomes de Pinho.  

Da sua participação destaca-se a referência a três questões fundamentais. "Pensamos que no próximo ano poderemos aqui fazer a grande exposição nacional de Serralves", afirmou o presidente da Fundação que aproveitou a assinatura deste protocolo para apresentar o novo projecto – "Antena" – destinado a jovens criadores "e que pode ser muito interessante para Santo Tirso", clarifica. "Espero que uma das consequências deste protocolo que hoje assinamos seja a possibilidade de se lançar aqui também um núcleo de indústrias criativas que permita a fixação de novos talentos e até a atracção de outros talentos", defendeu. 

Relativamente a esta colaboração, há algumas áreas consideradas prioritárias para ambas as instituições. Como exemplo temos a formação pedagógica de agentes escolares e quadros municipais, no âmbito da arte contemporânea e do ambiente, e a organização, em colaboração com outras entidades, de cursos de gestão cultural destinados especificamente a quadros municipais e dirigentes de associações culturais locais. As iniciativas a desenvolver no campo das artes visuais (exposições, simpósios, conferências, ciclos, debates, etc) passam a ser analisadas em conjunto com outras entidades culturais locais. Este protocolo prevê também a preparação de uma exposição da colecção internacional da Fundação de Serralves e a colaboração da Fundação de Serralves, como consultora da Câmara Municipal de Santo Tirso, nomeadamente no que respeita à concepção e lançamento de iniciativas culturais. 

Os objectivos da autarquia com este protocolo prendem-se com a promoção da cultura, quer a nível local, quer a nível nacional e internacional. 

"Embora o motivo próximo, e mais evidente, que justifica esta parceria seja o Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Ar Livre, ele não esgota as nossas possibilidades de colaboração. Estamos conscientes do valor que esta iniciativa tem no contexto da arte contemporânea em Portugal e, por isso, contamos com a experiência e o apoio da Fundação para melhor a concluirmos e promovermos junto dos públicos nacionais e internacionais. Mas as possibilidades de colaboração são muitas mais, como o Festival Internacional de Guitarra ou o projecto do Cine-Teatro Municipal que agora se inicia", esclareceu Castro Fernandes. "Resta-nos esperar que a equipa técnica que vai trabalhar neste projecto possua a imaginação e a capacidade de realização para propor iniciativas concretas que, aproveitando as especificidades das nossas experiências, resultem em favor da arte e do acesso cada vez mais generalizado e inteligente à produção artística", rematou o autarca.