As Festas em Honra de Nossa Senhora das Dores estiveram este ano em risco de não se realizar por falta de elementos para a Comissão de Festas. A aldeia de Ervosa, a quem este ano competia organizar o certame não tinha capacidade e a solução encontrada foi "juntar elementos de todas as aldeias de S.Martinho".

  "Devoção e não deixar acabar uma tradição com mais de 240 anos" são os motivos que movem Paulo Sá e Silva e algumas dezenas de trofenses que têm trabalhado arduamente depois de, há alguns meses atrás se ter colocado a hipótese de as Festas de 2007 não se realizarem por falta de capacidade da Aldeia de Ervosa. Com o bairrismo a fervilhar Paulo Sá e Silva aceitou, pelo segundo ano consecutivo, ser o "maestro" desta equipa "muitas vezes em prejuízo da família" a quem agradece o apoio prestado nestes dois anos mas garante "não volto a cair noutra", brincou. "Este ano é uma situação excepcional, uma vez que a festa é organizada por toda a freguesia de S. Martinho de Bougado. Dado que a aldeia de Ervosa, não tomou conta das festas, porque embora algumas pessoas  se tivessem disponibilizado para as fazer, outras houve que disseram não ter qualquer tipo de disponibilidade. Assim sendo, e como a aldeia é pequena, eram poucas as pessoas para tanta responsabilidade. No entanto, os que disponibilizaram estão de corpo e alma nesta comissão. Assim, pessoas de todas as aldeias e lugares da freguesia de S.Martinho de Bougado colocaram mãos à obra e organizaram a parte empresarial da Expotrofa que, para o presidente da Comissão de Festas "é uma grande fonte de receita para fazer face às despesas". Sem nunca querer falar em números o responsável adiantou que para fazer face às muitas despesas "recorremos ao peditório porta-a-porta, à ajuda dos muitos empresários do nosso concelho e muitos de fora, sobretudo da freguesia de Santiago de Bougado que têm sido muito generosos. Os leilões e a receita do bar são também duas boas formas de angariação de verbas". Sem revelar o orçamento previsto para este ano Paulo Sá e Silva garante que "o importante é chegarmos ao fim da festa e termos as verbas para pagar. Nós temos procurado não exceder os orçamentos, se gastarmos muito dinheiro cada vez é pior para se fazer a festa", defendendo que "se o orçamento fosse inferior, a aldeia que tinha que fazer a festa tinha feito"frisou.

Questionado sobre a possível junção das duas freguesias para em próximos anos se organizarem as Festas da cidade e não se deixar cair a tradição o responsável defendeu que "a freguesia de Santiago de Bougado é uma parte integrante das festas, em termos de donativos e ajudas, tem quase tanta importância, quanto a freguesia de S. Martinho de Bougado. Embora os peditórios sejam feitos só de porta a porta em S. Martinho de Bougado , mas a nível de empresas que são mais generosas faz-se nas duas freguesias, por isso a freguesia de Santiago de Bougado é de extrema importância para que se realizem as festas da Senhora das Dores. Quanto à possibilidade de passarem a ser as duas freguesias a organizar a festa, só depois de experimentar é que se pode ver se dá certo", reiterou.

Quanto aos pontos altos da festas p responsável sublinhou a Procissão de Nossa Senhora das Dores, no dia 19 de Agosto, às 17horas como grande ex-libris, já que os dez andores com cerca de treze metros altura continuam a atrair milhares de pessoas à sede do mais jovem concelho do país. O fogo de artificio no sábado à noite, o fogo preso no domingo e o especta ulo de Lucas e Mateus na sexta-feira à noite são também momentos importantes do cartaz deste ano. As bandas de Música continuam ainda a ser momentos importantes desta grande Romaria a que há mais de dois seculos chamam "A Romaria da Trofa".

A procissão de velas que marcou o inicio das festividades juntou milhares de pessoas e é já um bom prenuncio para que a edição 2007 das festas da Trofa sejam um sucesso.

Em jeito de remate Paulo Sá e silva agradeceu à esposa e aos meus filhos, "pela ajuda, compreensão e paciência que têm tido comigo porque ser presidente da comissão de festas e principalmente dois anos consecutivos acabam por prejudicar em primeiro ligar a família.

A todas as pessoas das aldeias de S. Martinho de Bougado que tal como eu, se disponibilizam para colaborar nas festas.

À Câmara Municipal, Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado e restantes Juntas do concelho da Trofa. A toda a população do concelho que colaborou nas festas. A todos os meus amigos e amigos dos restantes elementos da Comissão de Festas, que moram no seu concelho e fora dele, que nos deram um apoio extraordinário em termos financeiros para que fosse possível realizar estas tão grandiosas festas em Honra de Nossa Senhora das Dores, Trofa 2007 e a todos os que de algum modo contribuíram para que as festas em Honra de Nossa Senhora das Dores completassem mais um aniversário", concluiu.